Certificado de Vacinação Covid-19 para viagem – veja como tirar e mais.

Com as notícias das fronteiras reabrindo para viajantes brasileiros, muita gente voltou a planejar viagens internacionais e, de cara, pode ter esbarrado numa novidade: a exigência de um “Certificado de Vacinação Covid-19”. Mas, que tal certificado é este? Como tirar? Ele é obrigatório mesmo em todas as viagens?

Neste post atualizado, você encontrará um passo a passo para emitir o seu Certificado de Vacinação Covid-19, além de respostas rápidas para as perguntas mais frequentes sobre o tema.

O que você vai ver neste post:


O QUE É O CERTIFICADO DE VACINAÇÃO COVID-19?

O Certificado Nacional de Vacinação Covid-19 (CNVC) é um documento oficial, emitido digitalmente pelo Ministério da Saúde, que atesta que você já tomou a sua vacina. Atualmente, este documento pode ser emitido através da plataforma ConecteSUS – via site ou aplicativo para celular.

No certificado, você encontrará as informações completas sobre a vacina (ou as vacinas, em caso de duas doses) que tomou, como lote, fabricante, etc. Ele também inclui um código QR que, quando escaneado, comprova a veracidade do documento.

Você sabia que o seguro médico é item OBRIGATÓRIO em viagens para diversos países mundo afora? Se você ainda não contratou o seu, clique aqui e cote com a SegurosPromo. Através dela, você consegue comparar preços de vários planos e fica fácil encontrar o que melhor se encaixa em suas necessidades e em seu bolso! Afinal de contas, ninguém quer passar perrengue na férias, né? E mais: utilizando o cupom de desconto IMAGINANAVIAGEM5 você ainda garante 5% de desconto na contratação do serviço!

E O CERTIFICADO INTERNACIONAL DE VACINAÇÃO OU PROFILAXIA (CIVP)? TEM DIFERENÇA?

Sim. Tem diferença.

O CIVP (Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia), utilizado como comprovação da vacina de febre amarela, por exemplo, é um documento reconhecido internacionalmente.

Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia é um documento internacional emitido pela Anvisa.

Já o CNVC (Certificado Nacional de Vacinação Covid-19) é um documento cuja validade foi estabelecida a nível nacional. Isso porque, até o momento, não há ainda uma determinação da OMS ou uma normativa internacional que oriente a emissão de um documento padronizado para a Covid-19.

“Mas se o CNVC não é um documento internacional, como eu vou viajar com ele?”, você pode estar se perguntando. Acontece que, enquanto a tal normativa não sai, alguns países decidiram por aceitar o CNVC como comprovação de vacinação para viajantes brasileiros. É até possível que, futuramente, o certificado atual seja substituído por um CIVP específico para a Covid-19, mas, por enquanto, é o CNVC que você deverá apresentar durante os seus embarques e imigrações mundo afora.


COMO EMITIR O CERTIFICADO DE VACINAÇÃO COVID-19?

A primeira coisa que você precisa fazer para emitir o seu Certificado de Vacinação Covid-19 é… TOMAR A VACINA! E aqui, um spoiler: você não vira jacaré.

Depois da vacina tomada, você precisará acessar a plataforma ConecteSUS, do Ministério da Saúde. E você pode fazer isso pelo website, ou através do aplicativo disponível tanto para Android quanto para iOS.

É possível que você já tenha uma conta ativa na plataforma, já que o ConecteSUS usa a mesma base de dados de outros serviços digitais do governo. Se esse for o seu caso, basta acessar usando seu CPF e sua senha. Caso contrário, se você ainda não tem uma conta, não há problema. É possível fazer o cadastro na hora, pela internet mesmo. Uma dica: a opção de criação de conta através do CPF costuma ser a mais fácil é rápida.

“Não lembro a minha senha, e agora?” – Sem problemas! A plataforma tem um sistema de recuperação de senha com vários métodos para confirmar sua identidade.

Passo a passo ilustrado para emitir o Certificado de Vacinação Covid-19 através da plataforma ConecteSUS.

Quando estiver logado no ConecteSUS, você deverá clicar em VACINAS. A página seguinte lhe mostrará o seu registro vacinal, ou seja, as informações sobre as vacinas que você tomou. Para emitir o seu Certificado de Vacinação Covid-19 basta clicar sobre a vacina (tanto faz se a primeira ou a segunda dose) e depois em CERTIFICADO DE VACINAÇÃO. Feito isso, o seu Certificado de Vacinação Covid-19 irá aparecer na tela.

Para fazer o download, basta clicar na setinha no canto superior direito. Caso queira baixar também as versões em inglês e espanhol (altamente recomendável para quem pretende usar o documento em viagens), clique na bandeira do Brasil, altere o idioma e então clique novamente na setinha para o novo download.

Instruções sobre o download do Certificado de Vacinação Cocid-19.

OBS: caso acesse o sistema pelo aplicativo para celular, o processo é similar.


PRINCIPAIS DÚVIDAS

– O CERTIFICADO É OBRIGATÓRIO EM TODAS AS VIAGENS INTERNACIONAIS?

Não é. Existem países que atualmente não condicionam a entrada de viajantes brasileiros à comprovação da vacinação. Ou seja, países onde é possível entrar mesmo sem o Certificado de Vacinação Covid-19. Esse é o caso do México, da Costa Rica, da República Dominicana, Emirados Árabes ou Maldivas, por exemplo. Importante lembrar que embora não exijam o comprovante de vacinação, os países podem ter outras exigências, como a apresentação de PCR negativo ou quarentena.

– POSSO VIAJAR PARA QUALQUER PAÍS COM O CERTIFICADO DE VACINAÇÃO COVID-19?

Não. Ter o esquema vacinal completo e comprovado (infelizmente) ainda não é suficiente para garantir entrada em todos os países. Ainda existem países que, mesmo com o certificado de vacinação, continuam com suas fronteiras fechadas para viajantes que embarcam no Brasil ou que estiveram em solo brasileiro nos dias anteriores ao embarque.

Esse é o caso, por exemplo, dos Estados Unidos. Atualmente, caso você queira viajar aos Estados Unidos a turismo, é necessário fazer uma quarentena de 14 dias em outro país, como o México, por exemplo, antes de desembarcar por lá. E o protocolo é o mesmo para quem tem o comprovante do esquema vacinal completo.

– QUAIS SÃO OS PAÍSES ABERTOS PARA BRASILEIROS VACINADOS?

A lista países abertos aos viajantes brasileiros vacinados vêm crescendo bastante nos últimos tempos. Mas as regras costumam variar bastante. Em alguns casos, a comprovação de vacinação é fator obrigatório e insubstituível. É como vêm operando a França, a Bélgica e a Espanha (entre outros).

Em outros casos, o Certificado de Vacinação Covid-19 é apenas uma das possibilidades de liberação, podendo ser substituído pelo exame PCR negativo, por exemplo (Albânia, Alemanha, Bahamas…).

Há ainda casos de países que exigem quarentena após o desembarque, mas que isentam do isolamento os turistas que apresentam o CNVC.

Alguns países onde brasileiros com comprovação de vacinação podem entrar: França, Suíça, Espanha, Bélgica, Alemanha, Canadá, Belize, Catar, Egito, Marrocos, Finlândia, Holanda, Irlanda, República Tcheca, entre outros.

– TODAS AS VACINAS SÃO ACEITAS EM TODOS OS PAÍSES?

Não. Cada país tem a prerrogativa de definir quais vacinas ele vai aceitar. E, por enquanto, nem todas as vacinas utilizadas no Brasil são aceitas em todos os lugares. Alguns exemplos são o Canadá, a França e a Romênia que, embora já estejam abertos para viajantes brasileiros vacinados, ainda (veja bem, eu disse AINDA) não reconhecem a Coronavac.

– QUANTO TEMPO DEPOIS DA VACINA EU POSSO VIAJAR?

O intervalo mínimo entre o esquema vacinal completo e o embarque também é uma regra que sofre variação de país para país.

Na França, por exemplo, quem tomou a vacina de dose única (Janssen) precisa respeitar o intervalo mínimo de 28 dias entre a aplicação e o embarque. Já quem foi imunizado com vacinas de duas doses, deve aguardar 7 dias contados a partir da segunda dose para poder viajar.

Enquanto isso, na Espanha e na Alemanha, o intervalo mínimo é de 14 dias a partir do esquema vacinal completo (com uma ou duas doses).

Em todo caso, pra que não haja problemas, o recomendado é não marcar a sua viagem para uma data muito próxima da vacinação.

– TOMEI A VACINA, MAS ELA NÃO APARECE NO CONECTESUS, E AGORA?

A primeira coisa a saber é que o prazo para atualização do ConecteSUS é de 10 dias. Então, se você tomou a menos tempo, deve continuar aguardando. Caso o atraso seja maior, a recomendação é entrar em contato com a Secretaria de Saúde do município onde você se vacinou, ou voltar ao posto de vacinação que aplicou. Lembre de ter em mãos um documento de identidade e também o comprovante de vacinação – aquele que lhe deram no dia da aplicação.

Rio de Janeiro: quem se vacinou na cidade do Rio de Janeiro e encontrou divergências na plataforma ConecteSUS, pode resolver o problema online. Basta entrar em contato explicando o problema e encaminhar CPF, documento de identificação com foto e comprovante de vacinação digitalizados através das redes sociais da Secretaria de Saúde (Facebook e Twitter) ou enviando sua documentação para o e-mail suporteconectesus@rio.rj.gov.br.

EM 5 MINUTOS TUDO PODE MUDAR… (OU FONTES DE PESQUISA).

Dito tudo isso, é de suma importância dizer também que toda e qualquer informação dada sobre este tema agora é absolutamente provisória. Cada país tem estabelecido seu próprio conjunto de regras e, como bem temos visto, elas vão sendo modificadas à medida que a pandemia vai tomando rumos diferentes. Assim. De um dia pro outro.

Este post foi escrito (e pesquisado) em setembro de 2021 e seu texto certamente sofrerá algumas modificações ao longo do tempo, de forma a se manter atualizado. No entanto…

Caso você tenha uma viagem em mente, mantenha-se informado das mudanças através das fontes oficiais. A medida mais segura é sempre checar, com regularidade, o site oficial do consulado/embaixada do(s) país(es) que pretende visitar.

Outras fontes legais e confiáveis que podem te ajudar neste planejamento são o site da Associação Internacional de Transporte Aéreo (que concentra informações de viagens e fronteiras de todos os países em um só lugar), além do site do Ministério das Relações Exteriores do Brasil, que mantém uma lista atualizada com todas as restrições específicas pra viajantes brasileiros no exterior.

Desse jeito, fica bem mais fácil de planejar a viagem (sem risco de cair em fake news) e com zero chance de ser pego desavisado sobre os protocolos e mandado de volta pra casa no começo das férias.

LEIA TAMBÉM:

QUEM ESCREVE

Marina Heimer

Formada em Cinema e pós-graduada em Jornalismo, já trabalhou como produtora cinematográfica, fotógrafa, redatora, assessora de imprensa...
Mas foi nas viagens - e contando sobre elas - que descobriu sua verdadeira paixão.
Desde 2014, é editora do Imagina na Viagem e consultora de turismo além, é claro, de uma viajante incansável nas horas vagas.

Post anterior

Walking Tour em Amsterdam: um roteiro a pé pelo centro histórico (com mapa).

Próximo post

Outono em Nova York: vale a viagem? Veja atrações, clima e mais.

Comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.