Remédios para viagem: o que levar na farmacinha?

Comprar remédios – mesmos os mais simples – durante uma viagem, pode ser uma tarefa bastante complicada dependendo do destino que você pretende visitar. Em vários países, a venda de medicamentos só é feita com apresentação e retenção de receita médica em idioma local. Por isso, pensar antecipadamente nos remédios para viagem é tão importante. Montar uma farmacinha eficaz, com os medicamentos que você usa regularmente ou pode precisar é fundamental!

Minha sugestão é que você consulte o seu médico antes da viagem, a fim de decidir junto com ele quais são os remédios necessários na sua farmacinha e a dosagem que deverá utilizar caso tenha qualquer contratempo ao longo da sua viagem. O seu médico também poderá achar prudente prescrever alguns medicamentos controlados por precaução.

Se você está começando a montar a sua farmacinha, pode dar uma olhada na listinha que criamos abaixo. Nela, estão alguns medicamentos que figuram com frequência na minha bagagem. Mas lembre-se: trata-se apenas de uma referência e de forma alguma ela substitui uma consulta ao seu médico de confiança. Suas necessidades e restrições podem ser outras e somente um médico poderá prescrever os medicamentos ideias para você!

Você sabia que o seguro médico é item OBRIGATÓRIO em todas as viagens para a Europa? Se você ainda não contratou o seu clique aqui e cote com a SegurosPromo - empresa parceira do Imagina na Viagem. Evite perrengues nas suas férias! Utilizando o cupom de desconto IMAGINANAVIAGEM5 você ainda garante 5% de desconto na contratação do serviço!

 

REMÉDIOS PARA VIAGEM – COMO MONTAR UMA FARMACINHA EFICAZ

Remédios para viagem: o que levar na farmacinha de viagem? - Photo by rawpixel.com on Unsplash.
Photo by rawpixel.com on Unsplash.

REMÉDIOS DE USO CONTÍNUO

Quaisquer remédios que você usa regularmente. Pode ser o anticoncepcional, o medicamento da hipertensão, diabetes… os remédios sem os quais você não pode (ou não deveria) ficar. Faça uma listinha contendo todos eles e certifique-se de ter incluído em sua farmacinha a quantidade suficiente de cada um. Pra não ter erro, antes de fechar a mala vale fazer um duplo-check!

 

ANALGÉSICOS E ANTITÉRMICOS

São aqueles conhecidos para dor e/ou febre. Ter uma, ou algumas, cartelinhas em minha farmácia de viagem sempre me deixa mais tranquila. Exemplos: Tylenol, Aspirina, Novalgina, Alivium…

 

ANTIESPASMÓDICOS / DORES ABDOMINAIS

Melhores amigos das mulheres na época da menstruação, os antiespasmódicos e remédios para dor abdominal, em geral, prometem dar alívio às cólicas (menstruais, intestinais…). Uma cartelinha é sempre bem-vinda na minha farmácia de viagem. Exemplos: Buscopan, Dorspan, Ponstan…

 

ANTI-INFLAMATÓRIOS

Os anti-inflamatórios também são essenciais na minha farmacinha de viagem. Para definir qual levar, o ideal é que você converse com seu médico, pois existem diversos tipos, com indicações também diversas. Além do mais, é preciso ter a certeza de que você não é alérgico ao princípio ativo do remédio antes de toma-lo. No meu caso, a lista de anti-inflamatórios liberados é bastante pequena e qualquer um que não esteja nela pode causar alergia severa e até mesmo edema de glote! Consulte sempre o seu médico! Exemplos: Deocil, Profenid, Feldene, Predsim…

 

RELAXANTES MUSCULARES

Por várias vezes o relaxante muscular salvou a minha viagem… depois de longas horas em voos, principalmente para quem viaja na cabine econômica, é comum sentir dores musculares… se você tem medo ou receio de voar, então, a região cervical quase sempre vai sofrer. As muitas – e longas – caminhadas durante as viagens também podem desencadear alguns desconfortos. Os relaxantes musculares podem ser bons aliados nessas horas, aliviando a tensão dos músculos prejudicados e fazendo aquela dorzinha chata sumir bem rapidinho. Ah, eles também me ajudam a evitar aquela dor de ouvido clássica durante as decolagens e pousos. Exemplos: Dorflex, Dorilax, Mirtax…

 

ANTIGRIPAIS / REMÉDIOS PARA GARGANTA / DESCONGESTIONANTES

Quando viajamos, ficamos expostos a vírus diferentes/novos, para os quais ainda não temos anticorpos e, por isso, não é raro contrair uma gripe durante a viagem. A gripe tem um ciclo próprio, em outras palavras isso significa que ela tem um “tempo certo” de duração e o que nos resta é tratar os seus sintomas enquanto isso. Febre, dor muscular e nas juntas, dor de cabeça, tosse, congestão nasal e dor na garganta são os sintomas mais comuns… para lidar com eles, tenho sempre um kit específico de antigripais, descongestionante e sprays para garganta comigo! Exemplos: Naldecon, Trimedal, Coristina, Ciflogex, Benalet, Vick Vaporub, Neosoro…

 

INTESTINO E DIGESTÃO

Aqui entram os digestivos, antigases, antiácidos, laxantes, antidiarreicos… Em viagens, nossa rotina muda, nossa alimentação muda e o corpo nem sempre se adapta rapidamente. Portanto, sempre levo um kit específico para este tipo de problema. Azia, má-digestão, intestino preso ou solto são problemas – quase sempre – de fácil resolução, desde que tenhamos as ferramentas certas para combatê-los. Exemplo: sal de frutas, Magnésia Bisurada, Pantoprazol, Luftal, Naturetti, Floratil…

 

ANTIALÉRGICOS

Quem com alergias respiratórias, dermatites ou afins, não abrem mão de ter antialérgicos em sua farmacinha. Em caso de alergia a picadas de insetos, uma pomada antialérgica também é uma boa pedida. Uma dica esperta: dou preferência aos antialérgicos que já tenho o hábito de usar e que não me causam sonolência, por motivos óbvios… ninguém vai querer ficar morgado durante a viagem, não é mesmo? Exemplos: Allegra, Claritin, Zina, Hixizine, Polaramine, Fenergan, Andantol…

 

ANTIEMÉTICOS

São os remédios para enjoo, geralmente utilizados por quem costuma sentir náuseas durante o voo. Quem tem “sea sickness” ou “motion sickness” e planeja fazer atividades que podem disparar os enjoos, tem mais uma razão para conversar com o médico. Fique atento: alguns deles podem causar sonolência. Exemplos: Dramin, Vonau…

 

REPELENTE

Item obrigatório na mala de que viaja para áreas rurais, praias ou para locais com doenças endêmicas transmitidas por mosquitos (como é o caso da malária, por exemplo).

 

LENTES DE CONTATO / COLÍRIOS

Uso lentes de contato desde os meus 12 anos, então já estou mais do que adaptada à rotina de cuidados que elas exigem. Mesmo assim, vira e mexe, a memória prega uma peça e eu quase esqueço de incluir meus produtinhos da lente na mala… Tenha sempre no seu kit: uma solução de limpeza e armazenamento para as lentes (algumas marcas, como Renu, vendem embalagens menores excelentes para viagem), colírio, caixinha para as lentes e, pelo menos, um par de lentes sobressalentes. Você nunca sabe quando a lente vai cair do seu dedo direto para o reino de Nárnia… acredite: isso já aconteceu comigo! E, na época marinheira de pouquíssimas viagens, sem um par de lentes extra, a alternativa foi usar os óculos até o final da viagem.

 

HIDRATANTE

Tá bom… você vai dizer que hidratante não é remédio e por isso não deveria estar numa “farmacinha”, certo? E tudo bem, eu até posso concordar com você. Mas é que quando viajamos para lugares frios ou quando temos voos longos em nosso itinerário, a pele pode sofrer bastante com o ressecamento – em casos mais extremos, o ressecamento causa até ferimentos.  Por isso, o hidratante aqui tem muito mais a ver com saúde do que estética. Facial e corporal, ambos são importantes. Procure por embalagens pequenas ou, se não encontrar, vale comprar um kit de frascos para viagens e transferir o hidratante da embalagem original para uma menorzinha!

 

FILTRO SOLAR

Não importa para onde você esteja indo. O filtro solar – principalmente o facial – é item obrigatório. Na hora de comprar, esteja atento ao fator de proteção e ao tamanho da embalagem – um pequenino vai te atender bem durante toda a viagem e não vai fazer volume na sua bagagem!

 

PROTETOR LABIAL

Assim como a pele, os lábios costumam ressecar bastante no avião ou em destinos mais friozinhos. O Carmex é o protetor labial que eu AMO e sempre levo na minha farmácia de viagem. Ainda não é fácil encontra-lo em farmácias ou lojas físicas no Brasil, mas na internet (principalmente no Mercado Livre) você encontra sem problemas!

 

BAND-AID

Além de algumas unidades de band-aids comuns, sempre levo comigo um rolinho da “Fita Protetora Para Os Pés” da Nexcare. Trata-se de uma fita adesiva, feita para ser usada naqueles lugares onde os sapatos costumam machucar, evitando bolhas e ferimentos.

 

TERMÔMETRO

Tem gente que sempre esquece a máquina fotográfica em casa, tem a turma que “gosta” de esquecer o carregador do celular… eu sou do time que esquece o termômetro. Ou era… até esquecer e precisar dele em Praga, na República Tcheca. Rs! No final das contas, a gente até conseguiu comprar (mímicas mais tarde), mas o episódio rendeu um certo “trauma” de leve e hoje o termômetro é uma das primeiras coisas que coloco na farmacinha da viagem!

 

KIT DE PRIMEIROS SOCORROS

Viajantes mais precavidos podem optar por ter um pequeno kit de primeiros socorros em sua bagagem. É bem verdade que gaze, algodão, tesoura ou esparadrapos não exigem uma receita médica e podem ser comprados em qualquer farmácia do mundo, mas – para algumas pessoas – a barreira da língua ou a simples praticidade de “já ter tudo à mão” pode pesar. Se esse é o seu caso, vá em frente! Lembre-se apenas que caso o seu kit de primeiros socorros contenha itens cortantes – como uma tesoura – ele não poderá ser levado na mala de mão!

 

APARELHO DE PRESSÃO

Útil para quem tem problemas com hipertensão. Se esse não é o seu caso, nem precisa esquentar a cabeça!

 

MEDIDORES DE GLICOSE, INSULINA E DEMAIS ITENS PARA CONTROLE DA DIABETES

Se você é diabético, certamente tem um kit pronto em casa para acompanhamento e controle da glicemia. Obviamente, ele deve permanecer com você também durante as viagens!

 

 

Por fim, vale dizer mais uma vez que a lista acima foi criada a partir dos remédios que EU costumo levar, durante as MINHAS viagens, com base nas experiências que EU já vivi ou presenciei. O ideal é que você crie a sua própria, levando em consideração os remédios que já costuma usar e tentando antecipar soluções para probleminhas que você possa vir a ter. A melhor maneira de criar uma listinha personalizada pra você é conversando com o seu médico. Ele conhece o seu histórico, suas restrições e pode indicar, melhor do que ninguém, quais são os itens indispensáveis da sua farmacinha de viagem.

ATENÇÃO: Se você viaja com crianças, a visita ao pediatra antes da viagem é IMPRESCINDÍVEL. A lista de remédios para viagem dos pequenos precisa ser bem elaborada e até mesmo alguns remédios controlados – como antibióticos – podem ser recomendados, por precaução, pelo médico.

 

QUANTOS REMÉDIOS DEVO LEVAR NA MINHA FARMACINHA?

Remédios para viagem: o que levar na farmacinha de viagem? - Photo by Christin Hume on Unsplash.
Photo by Christin Hume on Unsplash.

REMÉDIOS DE USO CONTÍNUO: Você faz uso diário de um determinado remédio. Sua viagem tem duração total de 15 dias, então você precisa levar 15 unidades daquele tal remédio, certo? Errado. Já vi muitos blogs por aí indicando essa conta… e parece que a galera esquece que quando a companhia aérea resolve empacar o meio de campo, só Deus sabe quando é que a gente consegue voltar pra casa. Um voo cancelado, uma neblina que fechou os aeroportos ou qualquer outro contratempo pode significar uma viagem alongada… e um viajante precavido tem remédios de uso continuo sobressalentes para esse tipo de situação.

DEMAIS REMÉDIOS: no caso dos remédios de uso esporádico – aqueles que a gente só toma caso tenha um problema – não há uma quantidade padrão e você deve fazer uma análise com base no seu histórico pessoal. Dramin, por exemplo, eu levo apenas uma cartela, pois o meu histórico me leva a crer que só poderei precisar dele durante os voos. Já os antialérgicos e analgésicos eu tendo a levar em maior quantidade (geralmente 1 por dia de viagem!).

Já reservou seu hotel para a viagem?? Eu sempre opto por reservar os meus hotéis através do Booking.com Nele fica fácil encontrar as melhores opções de hospedagem - e excelentes ofertas! Reservando seu hotel através de nossos links, você contribui com o Imagina na Viagem sem pagar nadinha a mais por isso! Acesse em: Booking.com

 

UMA FARMACINHA OU DUAS FARMACINHAS? COMO LEVAR OS REMÉDIOS PARA VIAGEM

Sua avó certamente já dizia: o seguro morreu de velho. E correndo o risco de parecer neurótica, eu confesso: sempre levo dois kits de remédios para viagem.

Mas Marina, precisa mesmo? Bom, a experiência me diz que quem tem um, não tem nenhum. Vamos dizer que você monte uma farmacinha bem completinha. Ela ficou meio grande e vai ficar apertado levar na bagagem de mão. A solução seria coloca-la na mala despachada, certo? Mas e se durante o voo você precisar de algum dos seus remédios? E pior, se (bate na madeira) a sua mala for extraviada? Aí bye bye farmacinha!

O que eu faço é separar os remédios em duas bolsinhas. Na mala despachada vai o grosso. O kit grande. Na mala de mão, que corre menos riscos de perda ou algo do tipo, vão todos os remédios de uso contínuo (aqueles que eu PRECISO tomar todos os dias) + os remédios que posso precisar durante o voo (Dramin, etc…) + uma cartelinha de cada um dos remédios definidos pelo seu médico mais “necessários”. Assim, se houver qualquer contratempo com a mala despachada, não tem problema! Roupas a gente compra, acessórios idem… já repor os remédios é um tantão mais complicado.

Sobre organização, para mim o que sempre funcionou muito bem foi levar apenas as cartelinhas (sem caixa ou bula). Assim consigo otimizar bastante o espaço e fazer com que a farmacinha – mesmo a maior delas – não ocupe muito espaço na mala. Caso seja necessário consultar a bula durante a viagem, isso pode ser resolvido facilmente com auxilio da internet. Hoje em dia, é raro – talvez impossível – encontrar um remédio cuja bula não esteja disponível online. Remédio líquidos (colírios, xaropes, descongestionantes nasais) devem ser embalados em plásticos transparentes – tipo ziplock. E caso você viaje com remédios controlados, é sempre bom levar consigo o receituário médico carimbado e assinado. Confesso que nunca fui solicitada a apresentar o documento, mas é uma medida prudente.

 

QUANDO É HORA DE PROCURAR UM MÉDICO NA VIAGEM

Remédios para viagem: o que levar na farmacinha de viagem? - Photo by rawpixel.com on Unsplash.
Photo by rawpixel.com on Unsplash.

Que uma boa lista de remédios para viagem é indispensável na hora de arrumar a mala, isso todo mundo concorda. Ter à mão os medicamentos que você já tem o hábito de usar te dá a chance de resolver rapidamente pequenos problemas ou mesmo evita-los. Mas e quando o problema se torna maior? Nesses casos, apelar para a automedicação pode custar caro e o ideal é procurar rapidamente por atendimento médico.

Eu, super precavida que sou, sempre viajo com todos os remédios possíveis e imagináveis. E não é hipocondria não… O fato é que tenho alergia medicamentosa e, por isso, usar um remédio novo/desconhecido é sempre um risco. Preciso ter comigo aqueles que já indicados pelo meu médico e que sei que posso tomar. E ainda assim, com uma bolsinha de remédios abarrotada, não tive como evitar ou controlar as dores de uma crise renal em Paris. Precisei de atendimento médico de urgência (leia mais sobre esse “causo” no post: Atendimento Médico em Paris). Naquela hora, foi uma grande mão na roda ter contratado um seguro médico internacional.

E é óbvio que ninguém quer ficar doente ou sofrer um acidente durante a viagem, mas, infelizmente, são coisas sobre as quais não temos controle. Você pode ter a saúde 100% em dia, os exames perfeitos e, no primeiro dia de viagem, chutar o pé da cama e quebrar um dedinho… Rs! Acredite em mim: a assistência de um seguro médico internacional é tudo o que você vai desejar ter. No meu caso, o seguro indicou para qual hospital eu deveria me encaminhar, bancou a consulta e todas as demais despesas – inclusive os remédios que precisei comprar. Foi uma baita economia, além do conforto e tranquilidade de não precisar lidar com a situação por minha própria conta.

Por fim, se você ainda não se convenceu, saiba que o seguro médico internacional é obrigatório nas viagens para diversos países mundo afora e a apólice, comprovando a contratação, pode ser exigida no controle de imigração, logo que você desembarcar do avião. Sem ela, só vai lhe restar voltar pra casa.

A Seguros Promo é uma excelente pedida para quem quer viajar tranquilo, tendo toda a assistência de um bom seguro médico internacional, sem pagar uma fortuna por isso. No site deles você consegue comparar a cobertura e valor dos planos de diversas seguradoras e escolher a melhor opção pra você! Para fazer uma cotação sem compromisso, acesse www.segurospromo.com ou clique no banner abaixo!

Banner 2

 

Leia mais:

Atendimento médico em Paris: a importância de contratar um seguro de viagem.
Mala extraviada! E agora?
Dor de ouvido no avião. E agora?

 

 

Post Anterior

Livros de Viagem – Dicas de presentes para quem gosta de viajar!

Próximo Post

Compras em Paris: dicas para comprar bem e barato na Cidade Luz

2 Comentários

  1. Juliana Moura
    5 de março de 2018 at 14:22 — Responder

    muito legal. ajudou muito!!!

    • 10 de março de 2018 at 20:50 — Responder

      Fico feliz por ter ajudado!
      Obrigada pela visita e comentário, Juliana!

Deixe registrado seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.