Passeios ao ar livre no Rio de Janeiro: 8 ideias para seu roteiro!

Se você tem alguns dias livres no Rio, preenchê-los com passeios ao ar livre não é tarefa muito difícil. A cidade maravilhosa é infinita em atividades e atrações à céu aberto – seja uma trilha que leva a um dos visuais mais estonteantes da cidade, ou uma praia bem menos tumultuada (e ainda mais linda!) que as populares Copacabana e Ipanema. Nas sugestões abaixo, você encontrará lugares perfeitos para curtir a cidade (e toda sua natureza exuberante), do amanhecer até os últimos raios de sol. E o melhor: a maior parte delas é gratuita!

O QUE VOCÊ VAI VER NESTE POST:

1. PASSEIOS AO AR LIVRE NO RIO DE JANEIRO

JARDIM BOTÂNICO
PARQUE LAGE
PRAIAS DA ZONA OESTE
PEDRA DO ARPOADOR
LAGOA RODRIGO DE FREITAS
PEDRA BONITA
PISTA CLÁUDIO COUTINHO
MURETA DA URCA

2. HOSPEDAGEM NO RIO

1. PASSEIOS AO AR LIVRE NO RIO DE JANEIRO

JARDIM BOTÂNICO

Um dos pontos mais especiais do Rio, principalmente para quem é fã de atividades ao ar livre, o Jardim Botânico é xodó tanto de moradores, quanto de turistas que visitam a cidade. Foi inaugurado 1808 e hoje, mais de 200 anos depois, além de render momentos agradáveis para quem o visita, ele também se destaca nas pesquisas botânicas e de conservação da biodiversidade, a nível mundial. Bacana, né?

Espere um passeio relaxante, em meio a cenários hiper fotogênicos e, de quebra (se tiver interesse sobre tema), um campo de estudo tremendo sobre biologia vegetal. Com 54 hectares de área total, o Jardim Botânico acumula, desde a sua fundação, milhares de espécimes da flora brasileira e mundial – são mais de 15 mil bromélias, mais de 7 mil orquídeas, por exemplo.

Não vá embora sem caminhar pelas aleias Cândido Baptista e Barbosa Rodrigues. Nelas, você encontrará as famosas palmeiras-imperiais que são o símbolo do parque. Além de lindas (e assustadoramente grandes!), elas rendem um cenário incrível para aquela foto de porta-retrato!

Atenção: em função da Covid-19 e seguindo as diretrizes da Prefeitura do Rio, o acesso ao Jardim Botânico está sendo feito de forma controlada e com exigência de agendamento prévio. O agendamento pode ser feito no link: http://agendamentovisita.jbrj.gov.br/fila.php.

Endereço: Rua Jardim Botânico, 1008
Horários: segundas-feiras, de 12h às 17h; terça a domingo, de 8h às 17h.
Entrada: R$15,00. Estudantes, PCD, menores de 21 e maiores de 60 têm direito à meia entrada. Crianças até 5 anos não pagam.

PARQUE LAGE

Taí uma dobradinha que funciona super bem. Depois, ou antes, da sua visita ao Jardim Botânico, vale a pena esticar o passeio e conhecer também o Parque Lage. Ambos ficam na mesma rua e a distância que os separa é bem curtinha.

O Parque Lage faz parte do Parque Nacional da Tijuca e conta com 52 hectares de florestas, jardins e cantinhos graciosos que encantam todo visitante. E tudo isso coladinho no morro do Corcovado, onde está localizado o Cristo Redentor.

Inclusive, se você busca por fotos instagramáveis, vale anotar: a piscina do Parque Lage, com o Cristo ao fundo é daquelas imagens ícones das redes sociais – e vai render uma chuva de likes no seu perfil!

Endereço: Rua Jardim Botânico, 414
Horários: aberto diariamente, de 9h às 17h.
Entrada: Gratuita.

PRAIAS DA ZONA OESTE

Ainda que você nunca tenha estado no Rio de Janeiro antes, você com certeza já cansou de ouvir falar em Ipanema, Copacabana e Leblon. E sim, vale super a pena visitar as praias mais famosas do Rio. Mas não deixe de separar um tempinho do seu roteiro para conhecer também as vizinhas menos badaladas… eu te garanto que a surpresa vai ser muito positiva.

Algumas delas ficam na Zona Oeste da cidade e são, na minha opinião, as mais bonitas de todo o litoral carioca. Passando a Barra da Tijuca, a Praia da Reserva e o Recreio dos Bandeirantes, você encontrará um conjunto de 5 praias sensacionais. São elas: Macumba, Secreto, Prainha, Abricó e Grumari. Se você gosta de surfar, Macumba e Prainha são pra você. Se quer uma faixa de areia pequenina e exclusiva, fique de olho na tábua de marés e planeje uma visita a Praia do Secreto (que só aparece com maré baixa). Se quer uma grande faixa de areia para aproveitar com a família, Grumari é uma excelente opção.

Diferentemente das praias urbanas do Rio, estas 5 praias destacam-se pelo visual selvagem e pela menor quantidade de frequentadores. Para chegar até lá, o transporte público não é uma opção. O ideal é ir com veículo próprio (ou alugado) ou, ainda, contratar um passeio. E atenção para a dica: vá bem cedinho, pois há pouca oferta de estacionamento.

PEDRA DO ARPOADOR

Depois de um dia incrível no Rio, uma forma de terminá-lo com chave de ouro é assistindo ao famoso pôr do sol na Pedra do Arpoador. O espetáculo é tão maravilhoso que, nos dias de tempo bom e céu aberto, não é incomum ver uma pequena multidão disputando por um lugarzinho na pedra. E vale a pena! De tão lindo, chega a ser fácil se emocionar… e, quando o Sol finalmente se despede do dia, é quase impossível não participar da salva de palmas que irrompe da plateia.

Uma dica quente: é preciso se programar direitinho para chegar à pedra no horário certo. E o Google pode facilitar bastante a sua vida nessa hora. Basta digitar no campo de pesquisa “pôr do sol no arpoador + a data que você deseja fazer o passeio” (ex.: pôr do sol no Arpoador 22 de setembro de 2025) e o próprio Google mostrará o horário exato do pôr do sol naquela data. E, claro, lembre-se de chegar com antecedência, já que o “evento” costuma atrair muitos admiradores.

Endereço: Av. Francisco Bhering, sem número.
Entrada: Gratuita.

LAGOA RODRIGO DE FREITAS

Ideal para a prática de esportes, para uma caminhada despretensiosa, uma água de coco no final da tarde… a Lagoa Rodrigo de Freitas é daqueles lugares democráticos que agradam a uma turma enorme e bem variada.

Com mais de 7 quilômetros de ciclovia, você pode dar uma corrida ou pedalar de bicicleta – há aluguéis de bike comuns ou mesmo daquelas em que pedalam várias pessoas ao mesmo tempo. Pode também se render aos esportes aquáticos e alugar uma prancha de Stand Up Paddle, ou curtir um passeio tranquilo de pedalinho – que as crianças costumam adorar. Há ainda espaço para piqueniques, outro dedicado aos amantes de skate e mais uma série de espaços onde várias tribos diferentes se reúnem. Um lugar tipicamente carioca!

Ponto bastante positivo é que a Lagoa Rodrigo de Freitas fica bem pertinho das praias da Zona Sul, bem como do Jardim Botânico e Parque Lage. Assim, é fácil combiná-la com estes passeios. Terminar o dia por ali, tomando um coco no píer enquanto assiste ao pôr do sol, é um dos programas mais bacanas que você pode incluir em seu roteiro!

Endereço: Avenida Borges de Medeiros, sem número.
Entrada: Gratuita.

PEDRA BONITA

A Pedra Bonita faz parte do Parque Nacional da Tijuca e tem um dos visuais que eu, particularmente, mais gosto no Rio. Para chegar é fácil. Você pode subir de carro ou através de uma trilha tranquila e segura, que leva em torno de 50 minutos. Lá em cima, além do visual sensacional, há ainda uma rampa de voo livre de onde partem asas-deltas e parapentes. Se você tiver coragem, vale a pena contratar o voo e ver a Cidade Maravilhosa junto dos pássaros. Se não tiver, vale sentar-se por ali para assistir as decolagens e, claro, apreciar a vista sensacional.

Do alto da Pedra Bonita, você pode ver (da esquerda para a direita) as praias da Zona Sul, o Morro Dois Irmãos, a praia de São Conrado, a Pedra da Gávea e a Barra da Tijuca. Difícil mesmo é decidir pra onde olhar…

Endereço: Estrada da Pedra Bonita, entrada ao lado da guarita do Parque Nacional da Tijuca.
Horário: diariamente, de 8h às 17h.
Entrada: Gratuita.

PISTA CLÁUDIO COUTINHO

No finalzinho da Praia Vermelha, aos pés do Morro da Urca – sim, o do bondinho do Pão de Açúcar! – está a Pista Claudio Coutinho. Trata-se de um caminho asfaltado, com pouco mais de 1 quilômetro, espremido entre a floresta e o mar, onde se pode caminhar tranquilamente curtindo o visual e o contato próximo com a natureza. E quando eu digo próximo, é próximo mesmo… miquinhos são companhias frequentes durante as caminhadas e encantam visitantes – principalmente os mirins.

É também na Pista Claudio Coutinho que começa a trilha que sobre até o Morro da Urca. Uma ideia bacana para aproveitar a experiência por completo é subir a pé e descer de bondinho (ou vice-versa). E, claro, um mergulho na Praia Vermelha também não é uma má ideia.

Endereço: Praia Vermelha, depois da Praça General Tibúrcio.
Horário: diariamente, de 6h às 18h.
Entrada: Gratuita.

MURETA DA URCA

Curtiu o combo Pista Claudio Coutinho + Morro da Urca + Praia Vermelha? Então calma, que ele pode ficar ainda melhor. No mesmo bairro, a apenas alguns metros de distância, você encontrará a famosa Mureta da Urca. O local é super frequentado por moradores e turistas e oferece um panorama perfeito da Baía de Guanabara.

O bacana por ali é simplesmente sentar na mureta, tomar um cerveja (ou um suco, quem sabe?), comer um petisco e curtir uma espécie de “dolce far niente” carioca, com cheiro de mar e barulho de onda.

Uma dica? Se quiser assistir ao pôr do sol por lá, se programe para chegar cedo. O programa é super tradicional e o lugar pode ficar bastante cheio.

Endereço: Avenida Portugal, sem número.
Entrada: Gratuita.

2. HOSPEDAGEM NO RIO

Agora que você já começou a estruturar seu roteiro pelo Rio de Janeiro com atrações incríveis ao ar livre, me conta: você já sabe onde se hospedar na cidade? Se você ainda não definiu sua hospedagem eu tenho uma notícia boa pra te dar.

É que o Rio de Janeiro é uma cidade com excelente oferta hoteleira. Muitos dos hotéis antigos foram reformados para os últimos grandes eventos da cidade e incontáveis novos hotéis surgiram também nesta época. Assim, encontrar um quarto novinho, confortável e bem arrumado não vai ser tarefa difícil. E sim, há opções variadas para todos os estilos e bolsos – desde hotéis badaladíssimos de frente para as praias (como o Fasano em Ipanema; o Copacabana Palace, em Copacabana; ou o Hyatt, na Barra da Tijuca) até hostels transados e super em conta.

Em meio a tantas opções, talvez você tenha até dificuldades na hora de bater o martelo e escolher a sua hospedagem… Nesse caso, a minha dica para pesquisar os hotéis no Rio de Janeiro, é acessar o Hoteis.com. Por lá, além de encontrar bons preços – sempre melhores que os do balcão –, você consegue fazer uma comparação justa entre as muitas opções da cidade e definir, com precisão, aquela que atende às suas necessidades. Ótimo, não?

Gostou do post? Tem mais dicas de atividades ao ar livre para incluir na programação carioca? Então deixe sua sugestão nos comentários!

*este artigo foi patrocinado por uma empresa que confia no Imagina na Viagem e na qual também confiamos.

PLANEJE SUA VIAGEM E RESERVE AQUI!


Quando você faz uma reserva através de nossos links, nós ganhamos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ajuda o Imagina na Viagem a continuar produzindo conteúdo e trazendo dicas pra você! Então, o que tá esperando? Faça a sua reserva e nos dê uma força!





Previous post

Quanto custa viajar: quanto custou passar um mês na Holanda?

Next post

Como tirar a PID - Permissão Internacional para Dirigir

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.