Vistos – Tudo o que você queria (e precisa) saber!

É batata, dez em cada 10 pessoas tem alguma dúvida sobre vistos. Não importa se viajantes de longa data ou se novatos nessas aventuras pelo mundo, todos se preocupam e acumulam questões sobre o processo de obtenção desse documento. Pensando nisso, desenvolvemos um post superinteressante que responde algumas das principais dúvidas que pairam sobre o assunto e que servirá como um ponta pé inicial para todos aqueles que ainda não possuem o documento ou pretendem renová-lo.

O QUE É O VISTO?

O visto temporário, sobre o qual trataremos aqui, é um documento que permite a entrada e permanência do turista (ou estudante) no país de destino. Embora alguns países não exijam o documento para visitantes do Brasil – como é o caso dos nossos vizinhos da América do Sul e alguns países da Europa – alguns dos destinos mais almejados por nós, brasileiros, apenas permitem a entrada mediante apresentação do visto. Estados Unidos, Austrália, Canadá, Japão, China e Nova Zelândia são alguns dos países que exigem o documento para turistas brasileiros.

Para garantir que você não tenha problemas na hora de requerer o seu visto, entrevistamos o diretor da Infovistos – uma das cinco maiores empresas de documentação de visto do país -, Alexandre Luis Pedrosa, que dividiu conosco detalhes como custos, prazos, e várias outras informações que você – definitivamente – precisa saber. Confira abaixo e anote as dicas!

 

15 QUESTÕES FREQUENTES SOBRE O ASSUNTO

1.    De forma geral, quanto tempo antes da viagem é preciso dar entrada na solicitação do visto?

Independente do destino, o importante é de programar. O prazo de antecedência pode variar, de acordo com a época do ano. Normalmente em períodos que antecedem as férias a tendência é o prazo ficar um pouco maior para emitir um visto. Porém, 90 dias de antecedência da viagem é bem confortável. Mesmo assim, sabemos que há muitas viagens em que não se consegue um prazo de antecedência muito grande. Nestes casos, recomendamos que o cliente providencie a documentação em até 40 dias antes da viagem, não depois disso.

 

2.    Quanto custa, em média, para obter um visto de turista?

O Visto de Turismo para o Canadá custa R$ 600,00, já o de Estudante (Permissão de Estudos) custa R$ 750,00. Em ambos está incluso as taxas de assessoria.

Já o visto de Turismo Americano, custa R$ 820,00, com a taxa de assessoria. Se o objetivo for estudar nos Estados Unidos (visto de Estudante), some USD 200,00 a este valor que é referente a taxa consular (taxa SEVIS do governo, específico para estudante).

Já quem quer ir para a Austrália primeiramente deve-se atentar ao fato de a taxa ser paga somente em cartão de crédito internacional, sendo que para o visto de turismo é de AUD$ 135,00 e para visto de estudante AUD$ 550,00. Para esses vistos, o valor dos serviços de assessoria é de R$ 200,00 por pessoa.

Em alguns casos, a Infovistos faz promoções que oferece desconto nas taxas de assessoria e dá a consultoria completa para cada um dos clientes.

 

3.    Iniciado o processo, em quanto tempo terei o visto em mãos?

Isso dependerá bastante do país. Para o Canadá e Austrália, por exemplo, o prazo médio é de 10 dias úteis. Porém, no caso da Austrália, é comum o visto sair com menos tempo, em até 1 ou 2 dias. Também não é raro processos de visto de turismo canadense que demorem mais do que 10 dias úteis, tudo dependerá da documentação apresentada e do retorno dos consulados.

Já o visto americano leva em torno de 15 dias úteis, pois é um processo um pouco mais complexo onde há necessidade, na maioria das vezes, de duas entrevistas. Isto sem contar o tempo de espera para o agendamento destas entrevistas.

 

4.    Meu visto venceu. Quanto vou gastar para renová-lo? O processo para renovação é diferente?

Não é diferente. Você estará fazendo um novo visto. Na teoria há apenas a necessidade de apresentação de menos documentos que em uma primeira solicitação. Na prática, o prazo e o preço serão os mesmos.

Entretanto, terá algumas mudanças em relação ao visto canadense, previstas para entrarem em vigor em março de 2016, onde quem já tiver tido o visto canadense nos últimos 10 anos, ou tenha o visto americano válido não será necessário entrar com um pedido de visto, apenas uma autorização para o Consulado. Porém, em todos os casos será feita uma avaliação do perfil do viajante.

 

5.    Meu passaporte venceu e meu visto ainda é válido. Preciso renovar o visto quando pegar o passaporte novo?

Se o seu visto é para os Estados Unidos e ainda estiver válido, basta tirar um passaporte e viajar com os dois documentos. Em um deverá estar o visto válido, mesmo com o passaporte vencido. Em outro, o documento novo, que precisa estar válido para realizar a viagem.

Para o Canadá o visto vai estar de acordo com a validade do passaporte e, portanto, isso não vai acontecer.

Para a Austrália, por exemplo, é bem mais simples, pois pede-se uma transferência de dados do passaporte para o visto. O visto australiano é eletrônico, isto é, dispõe de informações em sistema e não há etiqueta de visto colada em páginas do passaporte. O visto é atrelado à numeração do passaporte que por sua vez, se vencido, gera a necessidade de mudança dos dados junto à imigração.

 

6.    O que devo saber e com o que devo me preocupar durante uma entrevista para obtenção de visto?

Normalmente, em nossa orientação focamos muito na parte de documentos, para que nada falte na comprovação do que é solicitado pelos consulados. Também focamos no comportamento durante a entrevista, que deve ser o mais tranquilo possível, com respostas somente às perguntas feitas e com o máximo de coerência para que não sejam sugestionados qualquer tipo de dúvidas.

 

7.    Fui negado. Posso solicitar uma nova entrevista imediatamente ou preciso esperar?

Primeiramente é necessário saber o motivo da recusa. A maioria dos consulados pede que o requerente que deseje solicitar o visto novamente aguarde cerca de seis meses. Tempo que eles acham suficiente para mudança de perfil e mudança da situação apresentada. Mesmo assim, se o requerente achar a resposta injusta e estar munido de documentos que comprovem exatamente o contrário da recusa obtida, pode solicitar novo visto no dia seguinte se quiser.

 

8.    Não tenho vínculo empregatício e nem residência fixa, isso significa que não conseguirei meu visto?

Essa pergunta tem várias respostas. Vai depender muito de pessoa para pessoa, ou seja, de outros detalhes que muitas vezes estarão escondidos no conteúdo da documentação. Porém, como uma resposta geral, eu poderia dizer que não, o motivo em si não é para você não conseguir seu visto, porém é um fator que dificultará um pouco mais e, por isso, poderá depender de outros que sejam fortes o suficiente para que o consulado concorde que há condições para conceder o visto.

 

9.    A partir de que idade é necessário ter um visto? Crianças também passam por entrevista?

Qualquer pessoa, de qualquer idade, precisa de visto. As crianças podem ser representadas por seus pais ou responsáveis legais.

 

10.    É possível realizar entrevistas em grupo?

Não. A entrevista é individual sempre. No caso de famílias é comum o oficial do consulado entrevistar os pais, por exemplo.

 

11. Posso comprar minha passagem antes de ter um visto? A companhia aérea irá solicitar esse documento?

Poder, você pode. Se você deve? Não. Todo consulado recomenda que compra de passagem, pacote ou programa de intercâmbio, por exemplo, seja feito somente com o resultado do processo de visto, afinal ninguém gosta de perder dinheiro, certo? As companhias aéreas não solicitam visto para compra da passagem.

 

12. Quais os documentos necessários para dar entrada em um pedido de visto e onde devo solicitar o meu?

Todos os países vão basear sua ‘pesquisa’ de documentos em três frentes que são: vínculos com o país, parte financeira e motivação. Por isso, os documentos a serem apresentados deverão informar ao máximo todos os detalhes da vida dessa pessoa girando em torno desses itens. Se a pessoa trabalha ou estuda (vínculos), quanto ela tem de reservas financeiras e qual é sua estabilidade (documentos financeiros) e se a viagem que ela se propõe a fazer tem um objetivo definido bem coerente, mostrando que ela voltará ao país de origem. Há listagens específicas de acordo com os países e com o visto a ser solicitado, mas no geral são documentos comprobatórios, quanto mais o solicitante tiver melhor é.

 

13. O país para o qual eu quero viajar não tem Consulado na minha cidade. Posso fazer a solicitação à distância ou preciso ir viajar até o Consulado mais próximo?

O visto americano exige do requerente a fazer as entrevistas, obrigatoriamente. Já o canadense e australiano poderá ser feito através de um despachante ou especialista em vistos à distância, com o envio das informações e documentos.

 

14. Dei entrada no visto americano, fiz o pagamento, mas tive um imprevisto no dia da entrevista. Posso remarcar ou terei que repetir todo o processo e pagar uma nova taxa?

No caso do visto americano não há preocupações. Se a pessoa perde a entrevista por algum motivo deve aguardar aproximadamente 2 dias para poder ser feito um novo agendamento.

 

15. Tendo um visto de turista, por quanto tempo posso permanecer no país de destino?

No Canadá você pode permanecer por até 6 meses. O mesmo ocorre no caso do visto americano, para os Estados Unidos. Já na Austrália a permanência máxima é de 3 meses.

 

AINDA TEM DÚVIDAS?

Se você pretende viajar para algum país diferente dos citados acima ou tem alguma dúvida que não foi tratada aqui, uma boa fonte de pesquisa são os sites dos consulados específicos de cada país, onde geralmente as informações são acessíveis e bastante completas. Alguns, no entanto, não fornecem um passo a passou em português o que pode dificultar a vida de quem não tem domínio sobre outras línguas. Entrar em contato com a Infovistos (www.infovistos.com.br) também é uma boa pedida, já que além de lhe auxiliar em suas questões, a empresa ainda pode lhe assessorar durante o processo. Dessa forma você fica livre de imprevistos ou brechinhas que dificultem ou mesmo impeçam o sucesso de seu requerimento!

 

Colaborou com o post: Alexandre Luis Pedrosa – Diretor da Infovistos, Especialista em Vistos e Educação no Exterior. Consultor na área de vistos para diversas empresas e agências de viagens no Brasil. Também responsável pelos portais de visto: www.vistoparaocanada.com.br / www.vistoestadosunidos.com.br / www.vistoaustraliano.com.br

 

 

Post anterior

Vem aí mais um #CataratasDay

Próximo Post

O que fazer no Natal? Alguns dos melhores hotéis do Brasil tem a resposta!

Sem comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *