Ushuaia – O começo do Fim do Mundo

Quem segue as redes sociais do Imagina na Viagem acompanhou durante os últimos dias nossa ida à cidade mais austral do mundo: Ushuaia. Nesse post, vamos falar um pouquinho sobre a cidade – suas principais características e curiosidades -, a decisão de conhecer o Fim do Mundo e a nossa chegada por lá. Ao longo da semana, relatos sobre passeios e serviços trarão mais detalhes da nossa viagem e servirão como dica para quem pretende conhecer o lugar. Fiquem de olho!

Ushuaia - Centro
© Marina Aurnheimer / Imagina na Viagem

Território argentino, a ilha da Tierra del Fuego – onde está localizada a cidade de Ushuaia – encontra-se no extremo inferior do hemisfério sul, separada do continente sul-americano pelo Estreito de Magalhães e bem pertinho da Antarctica.

As estações do ano batem com as nossas – sendo o verão, por exemplo, entre os meses de dezembro a fevereiro -, mas o clima é bastante diferente do que estamos acostumados a experimentar aqui no Brasil. Nos meses mais quentes do ano, Ushuaia mantém uma temperatura média de 10°C e durante o inverno a sensação térmica pode chegar facilmente ao negativo.

Ushuaia - Placa
© Marina Aurnheimer / Imagina na Viagem

Quando começamos a desenhar nosso roteiro, nos preocupamos em checar a previsão do tempo no local para assegurar que os passeios ocorressem em dias sem chuva, coisa de praxe em toda programação turística que montamos. No Ushuaia, no entanto, descobrimos que essa preocupação é desnecessária… Por ali o lema é: relaxa e curte! Não há como programar nada com base no clima, uma vez que ele é absolutamente instável. Em um mesmo dia – e todos os dias! – você verá muito sol, muito vento, chuvas esparsas, nuvens pentelhas e até, quem sabe, neve! Sim, é possível ver neve no Ushuaia mesmo no verão!
E falando de Sol, a duração dos dias varia bastante de acordo com a época do ano. Em nossa visita observamos dias muito longos, nos quais o sol nascia às 4h30 e se punha apenas às 23h. No inverno é o oposto – o sol demora mais para aparecer e se põe cedo, acarretando em dias mais curtos.

O turismo é o principal setor da economia local. Ushuaia recebe turistas das mais diversas partes do mundo, em nossa passagem encontramos americanos, australianos, italianos, alemães… E pouquíssimos brasileiros! Conversando com algumas pessoas do local, descobrimos que os brasileiros são vistos em maior número durante o inverno, quando a temporada de ski está aberta. Cruzeiros turísticos e expedições com destino ao polo sul aportam diariamente na cidade.

A rede hoteleira oferece opções para todos os gostos e bolsos, de albergues à um recém-inaugurado hotel 6 estrelas. Hotéis, lojas, casinos e restaurantes das mais variadas cozinhas, estão espalhados pela pequena Calle San Martín e ruas próximas, fazendo daquela a principal rua da modesta zona turística de Ushuaia.
É legal destacar que, em função da grande ascensão do turismo na região durante os últimos anos, atualmente a cidade investe em melhorias para receber os visitantes. As obras na Calle San Martín são exemplo. Dia e noite, operários trabalham para transformá-la em uma rua de pedestres aos moldes da famosa Calle Florida de Buenos Aires. A previsão é que nos próximos 6 meses a obra esteja finalizada.

ushuaia - martin
© Marina Aurnheimer / Imagina na Viagem

Vale saber que a província é uma espécie de “zona franca”, e está livre de impostos para produção, razão pela qual a várias fábricas estão instaladas na região. Os free-shops também são um atrativo para os turistas. Em nossa experiência, no entanto, não observamos nada de especial nos preços praticados no local. Ushuaia, definitivamente, não nos pareceu um destino para compras. Se ainda assim você quiser gastar um dinheiro por lá, saiba que a maioria das lojas aceita além dos Pesos Argentinos, pagamentos em Reais, Dólares ou Euros, e o câmbio pode ser mais interessante do que o praticado pelos bancos.

Ushuaia - Placa2
© Marina Aurnheimer / Imagina na Viagem

A cidade tem apenas três acessos: uma única estrada – a Ruta Nacional 3, um único porto e um aeroporto. Por ser pequenina e ter suas fronteiras bastante controladas, a sensação de segurança é muito forte. Nossa impressão foi a melhor possível, andamos tranquilamente com câmeras em punho e em momento algum nos sentimos inseguros. O pequeno trecho que pegamos da Ruta 3 era razoável, com alguns pedaços em obras e tráfego muito tranquilo. Notícia boa para quem planeja uma trip road por ali.

 

 

Nossa viagem ao Ushuaia foi resolvida meio de supetão. Encontramos uma promoção no Black Friday e como já tínhamos muita vontade de conhecer o Fim do Mundo, não pensamos duas vezes antes de comprar as passagens. Tivemos uma semana para resolver tudo, escolher e fechar hotel, pesquisar atividades, arrumar malas e enfim, partir!

Viajamos através da Aerolíneas Argentinas e o trajeto foi bastante cansativo. Saímos do Rio sem atraso, às 2h40 da manhã, com destino a Buenos Aires, onde faríamos conexão. Nosso voo chegou no aeroporto de Ezeiza às 5h (horário local) e tínhamos cerca de 3h pra cruzar a cidade e pegar o voo seguinte no aeroporto Aeroparque.

A Aerolíneas fornece gratuitamente o serviço de translado aos clientes que precisam trocar de aeroporto durante a conexão e o processo foi bastante simples.
Após a restituição de bagagem em Ezeiza e antes de cruzar o portão de desembarque, você verá diversos guichês de empresas de táxis, remises e/ou ônibus. Um deles é o guichê da Tienda Leon, empresa conveniada à Aerolíneas que realiza o transfer entre os dois aeroportos. Chegando ao guichê, basta apresentar o ticket ou reserva do seu próximo voo e eles fornecerão um voucher que lhe dá direito ao translado.
Os ônibus da Tienda Leon com destino ao Aeroparque saem de um ponto em frente ao terminal C. Funcionários da Aerolíneas e Tienda Leon estão treinados a oferecer todas as informações necessárias e o aeroporto de Ezeiza é muito bem sinalizado. Foi moleza!

Já com os vouchers na mão, rapidinho encontramos o local de embarque o ônibus e partimos rumo ao Aeroparque.
Fique atento, a distância entre os dois aeroportos é um pouco grande e durante a semana pode haver engarrafamento no caminho. Demoramos cerca de 40 minutos para fazer o trajeto em um sábado com trânsito livre.

Chegando no Aeroparque foi só despachar as malas e embarcar. Às 8h20 partíamos com destino ao fim do mundo. O voo foi um pouquinho chato, com muitas áreas de turbulência, o que costuma ser normal perto da Cordilheira dos Andes.

Quando desembarcamos em Ushuaia fomos recepcionados pelo Ignacio, da Ushuaia Aventura. O Ignacio realiza passeios turísticos guiados na região, como o Glaciar Martial, Laguna Esmeralda e outros. No post sobre o trekking que fizemos até a Laguna Esmeralda vou contar mais detalhes sobre os serviços prestados pela Ushuaia Aventura e sobre o Ignacio, que acabou virando um super parceiro do Imagina na Viagem! A distância entre o aeroporto e o centro da cidade não é grande, e os táxis cobram, em média, 70 Pesos Argentinos (aproximadamente uns R$18) para fazer o trajeto.

O hotel escolhido para essa viagem foi o Albatros, muito bem localizado e com quartos espaçosos e limpos. Tivemos um pequeno problema com o acesso ao wi-fi, resolvido após uma mudança de quarto. Se você pensa em se hospedar por lá, solicite um quarto com localização central no corredor, onde o sinal de internet é mais forte. Café da manhã ok, check-in e check-out ágeis. Atendimento um pouquinho deficiente, mas compensado pela boa infra-estrutura do hotel!

Hotel Albatros Fachada
© Marina Aurnheimer / Imagina na Viagem
Hotel Albatros
© Marina Aurnheimer / Imagina na Viagem

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Assim começa nossa viagem ao Ushuaia. Nos próximos dias vou contar sobre os passeios que fizemos, as experiências gastronômicas e os amigos que encontramos nesses dias incríveis que vivemos na Tierra del Fuego!

Se você tiver alguma dúvida sobre a cidade, ou se quiser dividir conosco relatos sobre a sua passagem por lá, deixa um comentário aqui embaixo! Vamos adorar bater um papo sobre Ushuaia com você!

 

Confira mais posts sobre essa viagem:

Laguna Esmeralda – Ushuaia

Restaurantes em Ushuaia

 

Se você quiser ver ainda mais imagens da pitoresca Ushuaia e assistir trechos de nossa caminhada até a Laguna Esmeralda e do passeio 4×4 até os lagos Fagnano e Escondido é só dar play no vídeo abaixo. E se gostar não deixe de inscrever-se em nosso canal no Youtube clicando aqui!

Post anterior

Além da moda - Viajando com conforto e segurança!

Próximo Post

Laguna Esmeralda - Ushuaia

1 comentários

  1. Juliano
    14 de dezembro de 2014 at 14:03 — Responder

    Só nesse primeiro post você já solucionou umas quatro dúvidas minhas! Estou indo no próximo fim de semana para lá. Espero que dê tempo você postar sobre os passeios e a experiência em geral na cidade! Parabéns pelo site e obrigado pelas dicas!

    • 14 de dezembro de 2014 at 14:28 — Responder

      Que bom que gostou, Juliano!
      Pode deixar que os próximos posts saem antes da sua viagem sim, mas qualquer outra dúvida que você tenha é só falar…
      Eu é que agradeço pela simpatia! 🙂

  2. Maria Alice de Toledo Gaspar.
    3 de janeiro de 2015 at 23:35 — Responder

    Amei o post sobre Ushuaia….Nunca estive lá, mas meus filhos já foram e adoraram. Amo viajar e já estive em diversas partes do mundo…Agora, com a idade, viajo pela internet. Estarei por aqui vendo suas belezas. Parabéns!

    • 5 de janeiro de 2015 at 00:29 — Responder

      Olá, Maria Alice! Obrigada pelo seu comentário! Fico muito feliz que você tenha gostado do site. Ushuaia é mesmo um lugar maravilhoso. E olha, vi gente de todas as faixas etárias por lá, inclusive muitas pessoas de idade mais avançada curtindo as expedições marítimas que vão até o Polo Sul. Os navios são enormes e tem ótima infra-estrutura! Taí uma oportunidade de voltar a viajar de verdade! 😉 E se por acaso você se animar, não deixe de mandar uma mensagem contando sobre a viagem. Vou adorar recebê-la!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *