O que fazer em Avignon? 7 atrativos imperdíveis!

Em dúvida sobre “o que fazer em Avignon?”. Avignon é apenas a 43ª maior cidade da França e, por isso, a quantidade de atrativos e a agitação de sua vida social e cultural surpreendem. São incontáveis programas, que vão desde tours gastronômicos de dar água na boca, passam por visitas à sítios que remontam séculos de história, tardes em meio aos campos floridos de lavandas ou noites embaladas por alguns dos melhores e mais importantes festivais e eventos da França. Duvida? Então confira abaixo a lista que preparamos com os 7 programas que você deveria incluir em seu roteiro estando em Avignon.


Leia até o final e descubra uma DICA AMIGA para economizar nos ingressos – seus e de sua família – das atrações de Avignon!


O QUE FAZER EM AVIGNON?

 

1. PALAIS DES PAPES

Palais des Papes - O que fazer em Avignon? © Imagina na Viagem
Palais des Papes – O que fazer em Avignon? © Imagina na Viagem

É praticamente impossível separar a história de Avignon da história de seu Papado. Os anos nos quais a Igreja Católica teve sua sede em Avignon transformaram a cidade e moldaram, de uma forma muito evidente, sua identidade. Por tudo isso, se você deseja conhecer um pouco sobre a história de Avignon e descobrir de que forma uma pequena cidade às margens do Ródano evoluiu para o berço cultural que é hoje, é imprescindível que comece visitando o Palácio dos Papasum dos 10 monumentos mais visitados da França e o mais importante palácio gótico da Europa, que serviu como residência para diversos papas ao longo da Idade Média.


Para saber mais sobre a história de Avignon e seu papado, veja o guia que fizemos sobre a cidade clicando aqui: Avignon: Um guia completo sobre a joia da Provence.


Durante a visita, é possível visitar cerca de 25 salas, dentre as quais destacam-se as grandes salas de cerimônias – onde eram realizadas as festas, os conclaves e demais cerimônias da Igreja – e os apartamentos privados do Papa. O palácio é majestoso, mas não espere encontrar cômodos com mobília preservada. Durante a Revolução Francesa, o palácio foi saqueado e, posteriormente, durante a Terceira República, teve muitas de suas obras e afrescos destruídos. Conta-se que os soldados descascavam as pinturas das paredes – principalmente as cabeças de anjos, santos, etc – afim de lucrar com a venda destes artigos. Algumas salas têm tido seus afrescos restaurados ao longo dos últimos anos, mas ainda é possível ver as pinturas descascadas em algumas capelas do palácio.

As visitas podem ser feitas com auxílio de audioguias disponíveis em 11 idiomas – incluindo o Português! – ou, se você preferir, na companhia de um guia especializado. O próprio Palácio dos Papas organiza passeios guiados, mas o idioma pode ser uma barreira… Nós fizemos a nossa visita na companhia da Celeste, uma guia argentina que vive há alguns anos na região e sabe tudo sobre a cidade. Foi excelente! A Celeste confessou não ser muito fã do mundo digital, então ela não tem um site ou fanpage, mas você pode entrar em contato com ela e saber mais sobre os tours que ela realiza no email: surceleste@hotmail.com.

O Palais des Papes abre as portas diariamente ao longo de todo o ano. Os horários são variáveis:

De 1 de Setembro a 1 de Novembro – das 9h às 19h
De 2 de Novembro a 29 de Fevereiro – das 9h30 às 17h45
Março – das 9h às 18h30
De 1 de Abril a 30 de Junho – das 9h às 19h
Julho – das 9h às 20h
Agosto – das 9h às 20h30


Os
ingressos custam 11€ e alguns visitantes – como crianças, estudantes, famílias… – podem obter redução neste valor. Para informações detalhadas, acesse o site do Palácio dos Papaswww.palais-des-papes.com.

 

2. CENTRO HISTÓRICO E PONT D’AVIGNON

Avignon era, originalmente, uma cidade amuralhada. Mais de 4 quilômetros de paredes de pedras e 35 torres de defesa protegiam a cidade na época de seu Papado. Com o passar dos séculos, a cidade se desenvolveu para além das muralhas, mas ainda são elas que delimitam seu centro histórico.

Passear pelo centro histórico de Avignon é, de forma resumida, uma volta no tempo com cheirinho de lavanda. Rs! É no centro histórico de Avignon que estão localizados quase todos seus pontos de interesse turísticos. E é ali também que conseguimos compreender melhor a identidade da cidade e, com um pouco de imaginação, reviver os séculos mais importantes de sua história. Observar a fachada dos edifícios, os estilos arquitetônicos, os detalhes em suas calçadas, e a forma como a vida moderna apropriou-se, sem deteriorar, tudo aquilo é incrível. Daqueles passeios que merecem tempo, calma e um olhar apurado do visitante.

É também no centro histórico que você encontrará o maior número de lojinhas de souvenires, e isto explica o cheiro delicioso de lavanda que embala os passeios por ali. Travesseirinhos, chaveiros, hidratantes, essências e até mesmo ímãs de geladeiras são produzidos a partir das flores mais famosas da região… e, até hoje, quando sinto o cheiro das lavandas aqui em casa (nas muitas bugingangas que trouxe na mala) é do centrinho de Avignon que me lembro.

DICA DE ROTEIRO: Comece no Escritório de Turismo de Avignon, onde você pode se equipar com mapas e sugestões para seu walking tour. Passe pela Praça do Relógio – Place de l’Horloge – o coração da cidade, com suas lojinhas, restaurantes e o carrossel. É ali na praça que está localizada a prefeitura – Hôtel de Ville – de Avignon. Perca-se pelo maior número de ruelas que conseguir, cada uma delas reservará uma boa surpresa, te garanto! Vá até o Mercado Les Halles e compre alguns ingredientes para um lanche/piquenique (pães, queijos e um bom vinho são a minha sugestão) e de lá parta para o Rocher des Doms, a parte mais alta da cidade. Lá do alto, em meio aos jardins, dê uma pausa para desfrutar dos quitutes provençais enquanto admira o Ródano e a Pont Saint-Bénezet. Quando terminar, desça para além das muralhas, para conhecer de perto aquela que talvez seja a ponte mais emblemática da França.

A Pont Saint Bénezet começou a ser construída sobre o rio Ródano no século XII, e já no século seguinte passou a ter grande importância no desenvolvimento da cidade. É que a ponte era a única forma de atravessar o rio naquela região, outras opções só estariam disponíveis em Lyon, alguns quilômetros ao norte, ou no litoral, quilômetros ao Sul. Avignon tornou-se, então, passagem obrigatória para peregrinos e comerciantes que faziam a rota Espanha – Itália.

A lenda diz que foi um pastor – Saint Bénezet – que decidiu construir a ponte após uma iluminação divina. Conta ainda que sua pedra fundamental – ou seja, a primeira pedra a ser utilizada na construção – era enorme e muito pesada, e dezenas de homens teriam fracassado no objetivo de carrega-la até a margem do rio. Saint Bénezet teria, então, levado, ele mesmo e sozinho, a pedra ao seu lugar. Será? Se é verdade ou não, deixo que você chegue a suas próprias conclusões…
O que se sabe, com clareza, sobre a ponte é que ao longo dos séculos ela foi destruída inúmeras vezes devido às inundações do rio Ródano. E que durante muito tempo, a cada destruição, a Pont d’Avignon era novamente reconstruída. Até que no século XVII, a força do rio se fez soberana e, desistindo da briga, Avignon decidiu inutilizar a ponte e não mais restaurá-la. De seus 22 arcos originais, apenas 4 permanecem de pé até hoje. E a ponte, ou meia-ponte – como muitos a chamam – tornou-se um dos maiores símbolos da cidade.

Atualmente, a Pont d’Avignon – Pont Sain Bénezet conta com uma espécie de museu que remonta sua história e possibilita que os visitantes admirem o projeto original em uma maquete digital em 3d. As visitas contam com audioguias disponíveis em 11 idiomas, incluindo o português.

Os ingressos custam 5€ e os horários de funcionamento variam de acordo com a época do ano. Para checar, acesse o site: www.avignon-pont.com.

 

3. CAMPOS DE LAVANDA

Campos de Lavanda - O que fazer em Avignon? © Imagina na Viagem
Campos de Lavanda – O que fazer em Avignon? © Imagina na Viagem

É batata, 10 em 10 viajantes quando pensam em Provence pensam em lavandas. Os arbustos, que mesclam tons de roxo e azul e tem um perfume suave e doce, são – se não a maior – uma das maiores atrações da região, e em Avignon não seria diferente.

Como contei no guia sobre Avignon (clique aqui para ler!), as lavandas florescem, geralmente, de meados de Junho até Agosto, mas em alguns anos, em razão de fatores climáticos, a floração pode ocorrer antecipada ou tardiamente. Da mesma forma, os campos, por estarem em localizações distintas e receberem influências climáticas diferentes, podem florescer em tempos diferentes, cada um ao seu momento. Portanto, se você deseja ver as lavandas e a sua viagem cai em um período próximo à floração, vale a pena procurar saber – no Escritório de Turismo ou mesmo no seu hotel – se já ou ainda existe algum campo florido pela cidade ou região.

Existem centenas, talvez milhares de grandes campos de lavanda espalhados por todo o departamento de Vaucluse (do qual Avignon é capital) e você pode fazer pequenos bate-voltas para conhecer alguns deles… e se você der um pouquinho de sorte, nem será preciso sair de Avignon para ver as lavandas, não. Um campo em tamanho reduzido pode ser encontrado quase em frente a Porte du Rhône, uma das entradas das muralhas, às margens do rio Ródano. Foi esse o único campo de lavandas que conseguimos ver florido ao longo de nossa passagem pela Provence, cerca de um mês antes do período esperado de floração.

Um outra opção, que vale tanto no período da floração quanto durante todo o resto do ano, é visitar o Museu da Lavanda! O museu não fica exatamente em Avignon, mas está a cerca de 30km do centro da cidade, no caminho para Gordes, uma cidadezinha linda que merece ser visitada e sobre a qual já falamos no guia de Avignon (clique aqui para ler!). O museu é interessantíssimo, tanto que merece um post inteirinho só pra ele… fique de olho aqui no site que nos próximos dias a matéria sobre nossa passagem por lá já estará no ar! 😉


Pensando em viajar de carro pelo interior da França? Já está no ar o post com o roteiro completo de nossa road trip de Paris à Côte d’Azur! Confira nossos trajetos, as cidades pelas quais passamos e as bases que escolhemos pelo caminho clicando aqui!


 

4. MERCADO LES HALLES E GASTRONOMIA

Mercado Les Halles - O que fazer em Avignon? © Imagina na Viagem
Mercado Les Halles – O que fazer em Avignon? © Imagina na Viagem

É contraditório, mas a cidade que foi o epicentro da Igreja Católica na Idade Média é também um altar de devoção ao pecado capital da gula. Avignon é uma escolha certeira tanto para os fãs de alta gastronomia – sendo uma das cidades francesas com o maior número de restaurantes premiados pelos aclamados guias Michelin e Gault et Millau – como para os viajantes enxergam a imersão na cultura local como uma das principais experiências da viagem.

Ali, a tradicional culinária provençal é rainha. A manteiga sai de cena e dá lugar aos azeites produzidos na região, vegetais frescos, trufas, anchovas, muito tomate e alho e combinações saborosas de especiarias – como o alecrim, o manjericão e o tomilho – resultam em pratos leves, delicados mas com sabor marcante. É praticamente impossível deixar Avignon sem querer trazer consigo um pouquinho dos sabores de lá… e o Mercado Les Halles pode ser um bom amigo nessa hora.

O Mercado Les Halles é o mercado central da cidade. Ali você vai encontrar dezenas de boxes de comerciantes locais que vendem os mais diversos ingredientes típicos de Provence. Ervas, queijos, frios, azeites, tapenades – as tradicionais pastinhas feitas com anchova – e mil outras iguarias são lindamente expostas de uma forma que atraem os olhos, inebriam pelo olfato e conquistam pelo sabor. Além dos ingredientes que certamente roubarão espaço nas suas malas, você também encontrará no Les Halles algumas preparações típicas que podem ser saboreadas ali mesmo, em pé no balcão de um dos tantos boxes…

DICA ESPERTA: o Les Halles tem um estacionamento privativo aberto 24h por dia e muito utilizado por viajantes que estão hospedados em outras cidades e desejam passar o dia em Avignon! Se este é o seu caso, fica a dica! 😉

O Mercado Les Halles tem entrada gratuita e está aberto de Terça à Sexta das 6h às 13h30 e Sábados e Domingos das 6h às 14h. E, se você der a sorte de estar por perto em um Sábado, vale se organizar para chegar ao Les Halles por volta das 11h e aproveitar La Petite Cousine des Halles, uma espécie de apresentação seguida de degustação na qual os chefs locais criam receitas fáceis e rápidas com os produtos disponíveis no mercado. Imperdível!

Provar da alta gastronomia provençal, também não é nada difícil por ali. A Maison Christian Etienne (1 estrela Michelin) é certamente um dos locais mais procurados por quem valoriza este tipo de experiência. Localizado em um edifício histórico construído entre os séculos XII e XIII, o restaurante é comandado pelo chef Guilhem Sevin – com experiência na famosa cozinha Troisgros – e sua esposa Corinne. A Maison Christian Etienne serve menus degustação com preços que variam entre 35€ e 48€ no almoço e 75€ e 125€ no jantar. Para mais detalhes do menu e reservas, acesse: www.christian-etienne.fr

Assim como a Maison Christian Etienne existem inúmeros outros endereços dedicados a arte da culinária. E, se você der sorte, poderá achar um deles sem nem ao menos sair de seu hotel. Foi o nosso caso. Em Avignon, estivemos hospedados no Hôtel d’Europe, cujo restaurante – La Vieille Fontaine – é comandada atualmente pelo jovem prodígio Mathieu Desmarets. Com 25 anos, o chef já passou por algumas das cozinhas mais prestigiadas do mundo, incluindo a do Palais de l’Elysées, residência oficial da presidência da França. Diz se não é a opção de hospedagem perfeita para os amantes da gastronomia


Se você quiser saber mais sobre hospedagem em Avignon, vale a pena conferir o nosso Guia Completo sobre Avignon. Lá, você confere dicas sobre a localização ideal na cidade e um mapa com algumas excelentes sugestões de hotéis! Clique aqui para ler!


Em resumo, qualquer que seja o seu estilo de viagem, um tour gastronômico é algo que você definitivamente poderia (e deveria) incluir em seu roteiro por Avignon. Seja degustando menus sofisticados nos mais badalados restaurantes da cidade ou saboreando delícias provençais num clima bem mais despojado no Mercado Les Halles, o que vale é viver a Provence em sua totalidade – e comida, definitivamente, faz parte da alma daquele lugar!

 

5. VINÍCOLAS E ENOTURISMO

E já que o papo descambou pros prazeres da mesa, seria impossível falar de Avignon sem citar os vinhos da região. Desde 1996, Avignon é considerada a capital dos vinhos Côtes du Rhône.

Côtes du Rhône é denominação de origem controlada (DOC) utilizada para classificar e normatizar a produção e cultura às margens do Ródano. – exatamente como Champagne, que – embora Nem todos saibam – diz respeito única e obrigatoriamente ao vinho produzido na região de Champagne.

É sabido que as videiras são cultivadas na região desde a Antiguidade e que no século XIV a produção era dividida entre a realeza francesa, proprietária das plantações na margem direita do Ródano, e a Igreja Católica, responsável pelo plantio na margem oposta. Sabendo disso, fica fácil entender a razão pela qual um dos vinhos mais famosos da região leva o nome de Châteauneuf du Pape.


Curte vinhos? Então que tal incluir também a Borgonha em seu roteiro? Beaune – a capital dos vinhos da Borgonha – é o destino perfeito para os amantes da bebida de Baco e também uma base perfeita para quem deseja explorar a região central da França. Saiba mais sobre Beaune no post: Beaune: uma base perfeita no interior da França.


Visitar uma vinícola, estando baseado em Avignon, não é nada complexo. O departamento de Vaucluse – do qual Avignon é capital – conta com milhares de hectares de vinhedos. E muitas destas vinícolas estão abertas à visitação, promovendo degustações, workshops e aulas em grupo ou individuais. A Ecole du Vin Mouriesse in Châteauneuf du Pape é uma boa opção neste sentido. Você pode obter mais informações no site: www.oenologie-mouriesse.com. Existe ainda a possibilidade de realizar tours em bikes elétricas (www.terraventoux.fr) ou cavalgadas (www.rhonea.fr) em meio aos vinhedos da região.

Mas, se você quiser degustar dos famosos vinhos de Provence sem sair do centro de Avignon, uma boa pedida é o recém inaugurado Le Carré du Palais. Trata-se de um verdadeiro complexo enoturístico, cuja as portas foram abertas em Abril de 2017. O lugar conta uma escola de vinhos, oficinas que prometem atender a enófilos de todos os níveis em diversos idiomas, um bar de vinhos cuja carta possui todas as denominações do vale do Ródano e um restaurante de alta gastronomia especializado na culinária local. Tudo isso em um edifício histórico em plena Place de l’Horloge, o coração de Avignon.

Ah, e se você visita Avignon no final de Agosto, anote aí: nesta época, Avignon sedia um festival dedicado ao início da colheita dos uvas. Remontando à Idade Média, há desfiles, apresentações, concertos, degustações, piqueniques para os pequenos e um mercado de produtores locais. Em 2017, o festival acontece no dia 26 de Agosto.

 

6. FESTIVAIS E EVENTOS

E por falar em festival… Avignon, definitivamente, “atualizou as minhas definições” de fomento à cultura regional. Rs!
Quem já passeou minimamente pela Europa, certamente reparou na tradição dos festivais. São inúmeros, dedicados às mais diversas formas de arte, dias comemorativos ou mesmo eventos naturais – como no caso da colheita do vinho, sobre o qual falamos no tópico anterior. Mas Avignon se supera… a agenda é cheia, principalmente nos meses da Primavera e Verão.

E, pensando bem, não é lá muito surpreendente se você pensar que a cidade se desenvolveu, desde sempre, com uma pegada vanguardista e intelectual. No século XII, ela já era movimentada pelo vai e vem de estrangeiros que a cruzavam durante suas peregrinações entre a Itália e a Espanha e deixavam ali um pouco da influência de seus países de origem. No século XIV, com a chegada do Papado, Avignon recebe uma nova onda de “novidades” com artistas, decoradores, que chegavam aos montes – com subsídio da Igreja – para ornamentar igrejas, capelas ou mesmo o grande Palácio do Papas. No século XIX, uma nova época de efervescência cultural acontece, com poetas, pintores, intelectuais tomando conta das ruas da cidade.

Foi a partir desde contexto que, em 1947, Jean Vilar criou o Festival de Teatro de Avignon, o qual é atualmente reconhecido como o mais antigo e famoso festival da França e um dos festivais de teatro mais importantes do mundo. Originalmente realizado em la cour d’honneur du Palais des Papes – ou, em bom português – o pátio do Palácio dos Papas, logo o festival tomou forma e grandeza e passou a ocupar também colégios, capelas e inúmeros outros pontos da cidade. Atualmente, são realizados cerca de 50 espetáculos, em 20 cenários diferentes.

Outro evento imperdível na cidade é o Les Luminessences d’Avignon. Um espetáculo em 360º que conta a história da cidade através de projeções belíssimas no Palácio dos Papas. Em 2017, em sua 5ª temporada, o Les Luminessences d’Avignon acontece todas as noites, entre os 12 de Agosto e 30 de Setembro, sempre às 21h15 (em francês) ou 22h15 (em inglês). Os tickets custam 12€ e podem ser adquiridos na bilheteria do Palácio dos Papas ou no Escritório de Turismo de Avignon. Para uma palhinha do show, dê o play no vídeo abaixo!

Antes de sua viagem, vale a pena pesquisar a agenda da cidade e conferir seu calendário cultural. Na certa você encontrará boas opções de shows, concertos, espetáculos ou festivais rolando por lá. Para isso, basta acessar o site do Escritório de Turismo de Avignon em: www.avignon-tourisme.com

 

7. MUSEUS DE AVIGNON

Avignon também possui uma boa variedade de museus. No Musée Angladon você encontrará obras de artistas renomados como Cézanne, Van Gogh, Picasso, Degas e Sisley.  Já no Musée Lapidaire, uma coleção arqueológica dedicada a pré-história. As obras primas da idade média, têm espaço do Musée du Petit Palais. O Musée Calvet tem uma vasta coleção permanente com pinturas, esculturas, objetos de arte e ainda algumas coleções temporárias que também merecem a visita! Para os fãs de arte contemporânea, a Collection Lambert é imperdível.

  1. Musée Angladon – Aberto de Terça a Domingo (de Abril a Setembro) ou de Terça a Sábado (de Outubro a Março), das 13h às 18h. Os ingressos custam 8€. www.angladon.com
  2. Musée Lapidaire – Aberto de Terça a Domingo, das 10h às 13h e das 14h às 18h. Os ingressos custam 2€. www.musee-lapidaire.org
  3. Musée du Petit Palais – Aberto diariamente (exceto às Terças) das 10h às 13h e das 14h às 18h. Os ingressos custam 6€. www.petit-palais.org
  4. Musée Calvet – Aberto de Terça a Domingo, das 10h às 13h e das 14h às 18h. Os ingressos custam 6€. www.musee-calvet.org
  5. Collection Lambert – Aberto diariamente das 11h às 19h, em Julho e Agosto. Nos demais meses, o museu funciona de Terça a Domingo, das 11h às 18h. Os ingressos custam 10€. www.collectionlambert.fr

No mapa abaixo, você confere a localização exata de cada um deles! 😉

 

DICA AMIGA: Avignon Passion – um passe de descontos!

Fechou o seu roteiro em Avignon? Então que tal baratear a sua estada obtendo descontos para visitar as atrações da cidade?
O Avignon Passion é uma espécie de passe que oferece desconto nas atrações de Avignon e Villeneuve lez Avignon. A melhor parte é que ele é GRATUITO!

Para usufruir dos descontos, você precisa solicitar o Avignon Passion no seu hotel ou no Escritório de Turismo localizado no Centro Histórico de Avignon (41, Cours Jean Jaurès – Avignon) e visitar uma atração da cidade. Nesta primeira atração, você pagará a tarifa cheia (ou seja, o valor total do ingresso), e terá direito a carimbar o seu Avignon Passion. A partir daí, com o seu Avignon Passion carimbado, você e os demais membros da sua família (máximo de 5 pessoas) têm descontos nos ingressos das demais atrações da cidade por um período de até 15 dias corridos.

É o incentivo perfeito para conhecer tudo o que Avignon tem a oferecer!

 

 

Post anterior

Avignon - Um guia completo sobre a joia da Provence

Próximo Post

Hotel em Avignon - Provence: Conheça o Hotel d'Europe

Sem comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *