Mala extraviada! E agora?

O que fazer para recuperar seus pertences e não estragar a viagem?

Ter uma mala extraviada é um pesadelo de qualquer viajante, principalmente se o problema ocorre no início ou durante a viagem. Aconteceu comigo em Londres. Estávamos no 6º dia de uma viagem longa pela Europa e foi desesperador, mas com calma e um pouquinho de paciência a gente (quase) sempre chega na solução. Nesse post, conto como foi nosso problema e como conseguimos reaver nossas bagagens, e ao final dou algumas dicas para que você não tenha o problema ou possa encará-lo da melhor forma possível.

Havíamos saído de Paris (Charles de Gaulle) e acredito que o problema tenha ocorrido em razão da recente mudança no sistema de despacho de bagagens. Atualmente – pelo menos no embarque da Air France/KLM -, o sistema é todo automatizado e é você quem pesa, etiqueta e despacha suas malas na esteira. Não há mais funcionários para realizar o procedimento e, a impressão que eu tive foi que como não há mais um responsável pela tarefa, qualquer problema passa despercebido… Ninguém fica tão preocupado, já que ninguém vai levar a culpa. Hehehe… No dia que desembarcamos em Heathrow, em Londres, a fila para reclamar bagagens sumidas era absolutamente gigantesca e a sensação era de caos geral. Espero que tenha sido mesmo algo momentâneo, um problema pontual e que a empresa já tenha tomado as providências para se adequar à novidade e continuar prestando o serviço de qualidade que sempre lhe foi comum.

Enfim… Desembarcamos no Terminal 4 do Heathrow e aguardamos por longos minutos até percebermos que: não, a mala não ia aparecer. Éramos um grupo de 6 pessoas, duas sem malas. Ainda na área de desembarque, fomos até o balcão da Air France que ficava logo em frente às esteiras, antes da saída para a área pública do aeroporto. A fila era homérica e, enquanto esperávamos, fomos orientados a preencher um formulário com informações pessoais, dados dos vôos, dados do hotel no qual estaríamos hospedados e características da mala perdida. Minutos depois, quando fomos atendidos, a funcionária da companhia aérea verificou todas as informações e ainda nos mostrou uma cartela com dezenas de modelos de malas, para que identificássemos ali as que mais se pareciam com as nossas. Eles também perguntam por detalhes que possam ajudar na identificação, tais como tags, cadeados e etc. Portanto, lembre-se de equipar sua bagagem com tags de mala, lacres, capas, e/ou cintas. Na hora do sufoco, tudo isso servirá para facilitar e agilizar o problema.

Poucos minutos depois, ainda ali no balcão, fomos informados de que as malas já haviam sido identificadas e por um erro qualquer ainda estavam em Paris. Naquela altura, eu já imaginava minha mala no Japão, ou no Alasca, então foi até um certo alívio. A promessa era de que até às 21h daquele dia, as malas seriam entregues em nosso hotel. Recebemos o que eles chamam de PIR – Property Irregularity Report, um documento de comprovação da ocorrência que deve ser guardado juntamente com as passagens para caso seja necessária qualquer verificação.

PIRPIR-1

Neste mesmo documento, vem especificados os contatos do Baggage Service da Air France/KLM, para onde poderíamos ligar se tivéssemos alguma dúvida ou problema. A Air France/KLM ainda conta com uma ferramenta virtual na qual, de posse do número do seu PIR você pode rastrear a sua mala. Saber se ela já chegou no país onde você está, se já está na rua para entrega ou se sofreu um atraso. Bem como existe no serviço dos nossos Correios.

Segundo esse mesmo documento, a companhia aérea ainda oferece 100 euros a compra de produtos de necessidades básicas (com excessão dos extravios que ocorrem no voo de volta pra casa). Essas despesas serão ressarcidas desde que as notas fiscais sejam apresentadas ao Customer Care da Air France/KLM em um prazo de 21 dias após o recebimento da bagagem.

Nossas malas foram entregues na recepção do hotel durante a madrugada, e não às 21h como previsto à princípio, mas segui acompanhando-as através do rastreio e por ali fui informada sobre o atraso. No final das contas, apesar de terem perdido a nossa mala por algumas horas, não tenho comentários negativos a fazer sobre a empresa. O atendimento foi bastante eficaz e os funcionários parecem bem preparados para atender esse tipo de questão.

Sei que existem situações muito mais dramáticas, nas quais as bagagens realmente desaparecem e a viagem pode ficar completamente comprometida por isso. Tive um gostinho e posso imaginar o que é ficar sem os seus pertences em um país estranho.

Portanto, anote aí algumas dicas para evitar ou, ao menos, minimizar o problema caso você tenha a sua mala extraviada:

 

1. Se você viaja com um familiar ou um amigo, procure ocupar cada uma das malas com pertences dos dois viajantes. Se você vai levar 4 calças, por exemplo, vale a pena colocar duas em cada mala e assim por diante. Assim, caso uma mala seja extraviada, você ou o seu parceiro, não vai ficar completamente na mão e pode ficar tranquilo durante alguns dias até que a bagagem extraviada apareça.

2. Utilize apetrechos como tags, capas, lacres, cadeados, cintas ou qualquer outra coisa que possa ajudar na identificação da sua bagagem. Uma mala preta, sem nenhum diferencial, passa despercebida com maior facilidade do que uma mala cheia de penduricalhos, certo? 🙂

3. As tags de mala, além de servirem para identificação visual, também carregam informações como seu nome, endereço, telefone, etc. Esses dados podem servir para comprovar que aquela bagagem pertence à você.

4. Atualmente, já existe à venda no mercado o chamado rastreador de mala. Trata-se de um aparelhinho à pilhas que, quando despachado dentro de sua bagagem é capaz de enviar informações sobre sua localização atual através de SMS ou e-mail. Quando a companhia aérea perde a sua bagagem e não sabe onde encontrá-la, ter um aparelho que lhe mostre exatamente em que ponto do planeta estão os seus pertences é, no mínimo, reconfortante. Para mais informações, acesse o site do Trakdot.

5. Já falei aqui sobre a importância da contratação de uma assistência médica internacional para sua viagem, pois saiba que grande parte das empresas que oferecem esse serviço incluem no pacote uma cobertura em caso de extravio de bagagem. Geralmente, existem duas coberturas: uma para que você utilize enquanto a mala não aparece (como aquela ofertada pela companhia aérea que citei lá em cima) e outra – em um valor bem maior – para o caso de perda definitiva da bagagem. Consulte a cobertura oferecida pelo seu seguro antes de viajar.

 

E lembre-se:

Se você tiver sua mala extraviada no início ou meio de sua viagem o mais importante é manter a calma e tentar minimizar o problema. É óbvio que evitar a chateação é quase impossível, mas pense nos vários dias você tem pela frente e no tanto que se empenhou para realizar aquela viagem. Não é justo não aproveitá-la em seu máximo, não é? Certifique-se de que a companhia aérea está fazendo sua parte e dedicada a resolver a questão, compre o que for necessário (nessas horas ter a cobertura do seguro ajuda bastante) e vá curtir as suas tão sonhadas férias. Afinal de contas, perder a mala é um grande problema, mas perder a mala e a viagem é ainda pior.

Post anterior

Londres - Chegando na terra da Rainha.

Próximo Post

Bar d'Hôtel - Gastronomia refinada e muito charme no Rio de Janeiro.

Sem comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *