Bate-volta em Bruges – partindo de Amsterdam

Eu poderia citar, de forma fácil e rápida, uma centena de motivos pelos quais a Europa é o meu continente preferido na hora de escolher um destino de viagem. Dentre os principais, o que mais mexe comigo, sem dúvida, é a possibilidade de combinar vários destinos em uma única viagem, devido à grande quantidade de países em um pequeno perímetro e a facilidade de circular entre eles. A Bélgica é um bom exemplo. Com cerca de 30 mil km² de extensão (uma área menor do que a do estado do Rio de Janeiro), ela faz fronteira com 4 outros países: França, Luxemburgo, Alemanha e Holanda, todos membros da união europeia – ou seja, não existe controle migratório nas fronteiras e você pode transitar livremente entre todos eles. Essa combinação de praticidade e proximidade foi o que nos fez, em uma de nossas últimas passagens pela Europa, encarar um bate-volta em Bruges, partindo de Amsterdam.

Bate-volta em Bruges © Imagina na Viagem
Bruges © Imagina na Viagem

COMO FAZER UM BATE-VOLTA EM BRUGES: CARRO, ÔNIBUS OU TREM? 

A distância entre as duas cidades é de cerca de 270km e a melhor forma de percorre-los, na minha opinião, é de carro ou em ônibus de turismo, em viagens que levam, geralmente, três horas.

Existe ainda a opção de realizar esse deslocamento através dos trens. A duração da viagem é a mesma, o ponto negativo fica por conta das baldeações. Não existe uma linha direta entre Amsterdam e Bruges, e você precisará fazer ao menos uma conexão em Antuérpia.

Abaixo contamos mais detalhes sobre cada uma dessas três opções e explicamos a nossa escolha.

 

ÔNIBUS DE TURISMO – EXCURSÕES DE 1 DIA ATÉ BRUGES 

Em nossa experiência, optamos pelos ônibus de turismo. Diferentemente de uma excursão comum, onde os grupos permanecem juntos e são constantemente acompanhados por um guia, a “excursão” que nos levou a Bruges incluía apenas o transporte de ida e volta, algumas explanações sobre a cidade ao longo do percurso e, opcionalmente, um walking tour de 1 hora pela cidade. Foi a conta perfeita para nós, que buscávamos uma forma prática e confortável de chegar à Bruges mas queríamos ter liberdade para explorar a cidade em nosso tempo e ao nosso gosto. Os ônibus partem de localização central em Amsterdam no início da manhã e retornam no início da noite.

Nosso passeio foi comprado através da Viator – empresa especializada em excursões e serviços ao redor de todo o mundo e com a qual já havíamos tido ótimas experiências em viagens anteriores. Pagamos cerca de 90 dólares por pessoa. E é verdade que não é um passeio barato, mas como não estávamos dispostos a encarar baldeação de trem e não queríamos nos preocupar com aluguel de carro, mapas, estacionamentos, etc. foi a melhor opção e o melhor custo-benefício para nós.

Clicando aqui você acessa o site da Viator e encontra mais informações sobre a excursão que fizemos, tais como valores atualizados, horários e pontos de saída e chegada em Amsterdam, além de poder reservar – ainda aqui no Brasil – o seu passeio.

Quer ver mais sobre Bruges e nossa passagem por lá? Dá um play no vídeo! E, se curtir, inscreva-se no nosso canal!

 

TREM – COMO CHEGAR DE AMSTERDAM ATÉ BRUGES DE TREM 

Em primeiro lugar, vale o aviso: se engana quem pensa que o trem é uma opção muito mais econômica que as demais. Em outras circunstâncias, com destinos de chegada e saída diferentes, a conclusão pode ser outra. Mas em se tratando de um bate-volta de Amsterdam a Bruges, o trem passa longe de ser uma opção hiper econômica.

A verdade é que, dentre as opções disponíveis, o trem é (na minha opinião, hein?) a que menos tem pontos positivos.

Em primeiro lugar, como já citado lá em cima, não existe uma linha direta entre Amsterdam e Bruges. Todas as viagens tem uma ou mais conexões, ou seja, você precisará – obrigatoriamente – trocar de trem no meio do caminho.

Além do mais, é uma viagem por sua conta e risco, sem o benefício da flexibilização do roteiro. Explico: quando você viaja com uma excursão, você não pode assumir a direção do ônibus e parar onde bem entender, mas em compensação tem a comodidade da presença de guias profissionais que podem lhe auxiliar e que lhe contarão informações e curiosidades super legais sobre o destino. Quando você viaja de carro, embora você não tenha essa segurança a mais e precise de preocupar com questões como combustível, estacionamento e percurso, você tem a liberdade de desviar a rota e parar em uma cidadezinha no meio do caminho, ou de escolher rodovias menores para conhecer o interior do país.

No trem, não há nem a comodidade e nem a liberdade. E em alguns casos, ainda assim, compensa. Em algumas viagens o trem é a opção mais rápida ou mais barata. Não é, porém, o que acontece entre Amsterdam e Bruges. 🙁 Em uma rápida pesquisa no site Rail Europe (com datas em Maio/2017), as opções de passagens mais em conta saem por 72 euros, ida e volta, por pessoa. Um valor bastante aproximado do cobrado pelas excursões.

Bate-volta em Bruges © Imagina na Viagem
Bruges © Imagina na Viagem

ALUGUEL DE CARRO EM AMSTERDAM 

Se você é um viajante que busca por economia, anote aí: alugar um carro é a forma mais barata de fazer um bate-volta em Bruges, saindo de Amsterdam. Principalmente se você estiver acompanhado de outras pessoas.

Os preços, é claro, vão variar de acordo com a categoria do carro, mas existem modelos disponíveis por menos de R$200 (sim, Reais!!), por dia. Ainda que você inclua nessa conta o combustível e possíveis seguros extras com o carro, se dividir o valor total pelo número de ocupantes verá que o valor final é bem mais em conta que os preços das excursões ou trem. Você pode pesquisar os modelos disponíveis e valores aplicados para as datas da sua viagem no RentCars.

O RentCars é uma plataforma de comparação e reserva de veículos. Nele você encontra ofertas de diveeersas locadoras diferentes e pode escolher a que melhor se adequa ao seu bolso e seu estilo de viagem. A melhor parte é poder reservar o seu carro pagando em Reais e livre de IOF! Para acessar o RentCars e fazer a sua pesquisa, basta clicar no banner abaixo.

 

Algumas dicas importantes para quem aluga um carro em Amsterdam:

  • Para fazer o bate-volta em Bruges, você poderá marcar a retirada do carro pela manhã e a devolução para o mesmo dia, à noite. Evite contratar o aluguel por mais de um dia, pois isso acarretará em custos extras de estacionamento e, acredite: a economia pode ir por água abaixo. Raros são os hotéis que tem estacionamento disponível para seus hóspedes e os estacionamentos públicos são uma fortuna!
  • Se você é um motorista atento, redobre a atenção. Se não é, escolha outro meio de transporte. A engenharia de trânsito em Amsterdam é toda pensada de forma a priorizar os veículos alternativos, como bicicletas e bondes elétricos. Para nós, que não estamos habituados a dividir as ruas com centenas de bikes, é preciso ter 100% de atenção!
  • Resolveu ficar com o carro por mais que um dia? Não vá dar uma de espertinho e parar em vagas exclusivas ou em locais proibidos. Embora, talvez, você não perceba, Amsterdam é uma cidade altamente policiada e eles são bastante rígidos com as leis de trânsito. A multa é certa, e não é barata!

E porque não escolhemos o carro?

Alugar um carro é, quase sempre, nossa primeira opção. A liberdade de traçar a própria rota e fazer os passeios no nosso tempo são os fatores que mais pesam na hora de decidir nossa logística.

Por mais que você tenha um horário para retirar o carro e um horário para devolvê-lo, o que você fará nesse meio tempo depende única e exclusivamente das suas vontades. Chegou no seu destino e não era nada daquilo que você esperava? É só traçar uma nova rota e seguir viagem. Descobriu um point superinteressante no meio do caminho e quer incluí-lo no roteiro? Vá em frente! E, invariavelmente, essas escapadas são responsáveis por algumas das melhores surpresas e histórias mais divertidas da viagem.

Em algumas situações, no entanto, escolhemos o conforto e a praticidade em detrimento dessa liberdade. É o caso das cidades onde o trânsito, por qualquer razão, é mais complicado. Ou quando prevemos uma viagem muito corrida e cansativa. Em nosso caso, o bate-volta em Bruges, saindo de Amsterdam, se encaixava nas duas situações.

Bate-volta em Bruges © Imagina na Viagem
Bruges © Imagina na Viagem

É POSSÍVEL CONHECER BRUGES EM APENAS UMA TARDE? 

Independente do meio de transporte escolhido, tenha em mente: o passeio dura um dia inteiro e exige disposição, mas vale a pena. Bruges é uma cidade bem miúda e em poucas horas é fácil percorrer toda sua área turística e principais atrações.

Se eu pudesse lhe dar apenas duas sugestões diria: pesquise sobre a cidade antes e destaque quais atrações deseja conhecer com mais calma. Chegando lá, com um mapa em mãos, fica fácil criar um circuito que abranja seus pontos de interesse. Em segundo lugar, considere começar seu dia em Bruges com um passeio de barco pelos canais. É uma boa forma de ser “apresentado” à cidade, ouvir sobre suas curiosidades e definir quais pontos visitar ao longo do resto do dia.

Pode ser que, com a chegada do final do dia, bata uma dorzinha no coração por precisar ir embora. É que a cidade é um encanto, daquelas que parecem ter saído de um conto de fadas, e dizer tchau pode ser dolorido. É bem verdade que a gente fica desejando voltar e curioso por saber como deve ser aquela cidade à noite, quando a enorme maioria dos turistas a deixa pra trás… mas dizem que as melhores despedidas são mesmo as que deixam saudade e um gostinho de quero mais.

A conclusão é: se o seu roteiro for folgado, separe uma ou duas noites para viver Bruges. Mas, se não for possível, não se acanhe, não… Uma tarde é o suficiente pra vivenciar experiências inesquecíveis nessa pequenina joia europeia.

Bate-volta em Bruges © Imagina na Viagem
Bruges © Imagina na Viagem
Post anterior

Visitando Keukenhof - tudo o que você precisa saber para conhecer as tulipas holandesas!

Próximo Post

Onde comer em Bento Gonçalves? - Churrascaria Ipiranga

Sem comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *