Avignon – Um guia completo sobre a joia da Provence

Tudo o que você precisa saber enquanto planeja a sua viagem!

Programando uma viagem pela Provence? Avignon, definitivamente, é uma cidade que merece alguns dias do seu roteiro! Com uma história rica – que inclui até alguns anos como epicentro mundial do catolicismo -, Avignon é charmosa, romântica, possui uma cena cultural efervescente e, de quebra, é considerada um dos melhores lugares para exercer o pecado da gula na França! Rs… Ah, e tudo isso com cheirinho de lavanda no ar! Nesse guia completo, a gente te conta tudo o que você precisa saber enquanto planeja o seus dias em Avignon.

 

A HISTÓRIA DE AVIGNON

A história de Avignon começa há muito e muitos séculos atrás… Pesquisadores afirmam que a região já era habitada desde o tempo do povo Celta, alguns séculos antes de Cristo. Desde então, a cidade passou por inúmeras transformações, tendo sido parte do Império Romano e posteriormente propriedade da realeza Siciliana. Durante muitos anos, Avignon foi também parte importante da rota de comerciantes e peregrinos que viajavam entre a Espanha e a Itália. Só por aí, dá pra imaginar a mistura de influências e a riqueza cultural que se originara na cidade. Mas foi mesmo na Idade Média – a partir do ano de 1305 -, quando passou a ser sede da Igreja Católica e residência oficial do papado, que Avignon ganhou reputação mundial, bem como adquiriu boa parte da “identidade” que vemos hoje.

 

Já sob propriedade da Igreja Católica, Avignon ganhou, ao alto do Rochedo de Doms, aquele que hoje é o maior de seus símbolos: o Palácio dos Papas – uma fortaleza / castelo que é considerado o maior e mais importante palácio gótico da Europa. Foi também sob domínio da Igreja que Avignon foi cercada pelos mais de 4300 metros de muralhas que ainda hoje podem ser vistas – e admiradas! – na cidade. Igrejas, capelas e uma cena cultural nunca antes vista ali, vieram junto com os 7 papas e 2 antipapas que ali se estabeleceram. Pintores, poetas, estrangeiros promovem um progresso artístico e cultural que, até hoje, séculos mais tarde, é parte importante da personalidade de Avignon.

E sim, você leu bem… eu falei antipapas. Se você não é lá um grande estudioso do catolicismo pode estranhar – como eu estranhei! – o termo. De forma bem simplória e resumida, quando o sétimo Papa de Avignon, Gregório XI, em 1378, decide que o papado deve regressar a Roma, há uma espécie de ruptura na Igreja Católica, é o chamado “Grande Cisma“. Assim, pelos 46 anos anos seguintes, a Igreja permanece dividida entre dois papados simultâneos, o de Avignon e o de Roma. Os Papas que permanecem em Avignon, repudiados pela vertente romana, são conhecidos então como os “antipapas”.

Mesmo após a “reunificação” da Igreja, e com o papado sendo exercido exclusivamente em Roma, Avignon permanece como propriedade católica até o ano de 1791 quando, durante a Revolução Francesa, o povo – questionando os poderes e privilégios da Igreja e envolvido pelos novos ideias de “liberdade, igualdade e fraternidade” – expulsa os clérigos da cidade e decide pela incorporação de Avignon à nova França. Em 1793, Avignon torna-se a capital do departamento de Vaucluse.

Toda sua história – de ápices e conflitos – e os personagens que por ali passaram foram responsáveis pelo desenvolvimento de uma cidade rica cultural e intelectualmente. E é essa a maior marca de Avignon em mim, uma cidade que cultua as artes, que resguarda sua história tendo-a como sua maior preciosidade, uma terra de uma gente instruída e cheia de talentos. Não por menos, no ano de 2000, Avignon foi eleita a Cidade Europeia da Cultura, destacando-se claramente pela preservação de seus monumentos históricos – que hoje são classificados como Patrimônio Mundial pela UNESCO – e pelos inúmeros festivais artísticos que realiza anualmente.

 

INFORMAÇÕES PRÁTICAS SOBRE AVIGNON

Como eu já contei em posts anteriores (veja outros posts sobre a França clicando aqui!), a França divide-se administrativamente e geograficamente em regiões, departamentos e comunas/cidades – é como se fosse o nosso modelo de região, estado e município no Brasil -. Avignon é a cidade capital do departamento de Vaucluse, na região de Provence – Alpes – Côte d’Azur.

Avignon tem cerca de 60km² de área total e uma população estimada em torno de 90 mil pessoas. Geograficamente falando, já no Sul da França, a cidade é uma excelente base para quem deseja explorar a Provence e o Parque Nacional do Luberón, ver as lavandas, degustar os vinhos…  e possibilita até mesmo alguns bate-voltas até o literal. Além de ser um verdadeiro museu a céu aberto, Avignon tem boas opções de hotéis, excelentes e variadas opções gastronômicas, uma vida cultural agitada e algumas belezas naturais também… tudo o que um visitante espera encontrar em uma base para sua road trip.

 

LOCALIZAÇÃO E COMO CHEGAR EM AVIGNON

Avignon está localizada a pouco menos de 700km da capital, Paris. De carro, numa batida só, a viagem é um pouco longa. São cerca de 6h de estrada, e embora as rodovias no trajeto sejam ótimas e contem com “pontos de conveniência” com restaurantes, lanchonetes e etc – onde é possível esticar as pernas – a viagem pode ser cansativa.

Se você faz uma road trip (veja o roteiro completo de nossa road trip pela França clicando aqui!) iniciando em Paris e deseja parar por alguns dias em Avignon, minha primeira recomendação é que você escolha uma cidade no meio do caminho para permanecer por, ao menos, uma noite. Assim, você picota a viagem e encurta os trajetos e, claro, conhece um pouquinho mais do interior da França. Foi assim que fizemos, escolhemos Beaune – na Borgonha – e ficamos por lá por alguns dias. Para ler sobre Beaune e nossa experiência na cidade, clique aqui!

Por outro lado, se a sua viagem tem início no litoral Sul da França, o trajeto é molezinha. Apenas 100km separam Avignon de Marselha, por exemplo. Uma viagem de pouco mais de 1h de carro. Nice talvez seja a opção mais distante dentre as grandes cidades da Côte d’Azur, e ainda assim está a apenas 260km de distância.

Distâncias aproximadas:
Paris – 700km
Beaune – 380km
Nice – 260km
Lyon – 230km
Marselha – 100km
Aix-en-Provence – 90km

No mapa você vê Avignon em vermelho, as possíveis cidades de chegada (Paris, Lyon, Marselha e Nice) em amarelo e, em azul, algumas sugestões de bate-voltas perfeitamente viáveis a partir de Avignon. Dá pra ter uma ideia do quão bem situada na região ela é.

Quem viaja pela França de trem, embora perca em liberdade e quase sempre conheça menos cidades no caminho, tem o benefício de reduzir os tempos de viagem com o TGV (trem de alta velocidade). O trajeto de Paris até Avignon via TVG leva 2h40, bem menos que as longas 6h de carro. Os trens partem da Gare Lyon ao longo de todo o dia e a viagem custa, em média, 55 euros por pessoa. Já para aqueles que chegam por Marselha, a viagem de trem dura 30 minutos e a passagem custa cerca de 15 euros por pessoa. Para conferir os horários e preços atualizados, consulte a Rail Europe clicando aqui!

Seja qual for o seu meio de transporte, o mais bacana da localização de Avignon é exatamente sua proximidade com centenas de outras cidades e pontos de interesse. Os bate-voltas, de carro ou trem, são super possíveis e práticos de serem feitos a partir de Avignon.

 

CLIMA EM AVIGNON: QUANDO VISITAR?

Quando visitar Avignon é uma pergunta cuja resposta depende basicamente do estilo do viajante e, sobretudo, do objetivo da viagem.
Antes de decidir a data do seu embarque, tenha em mente que:

  • No Verão (de Junho a Setembro), as temperaturas médias ficam entre os 19ºC e 31ºC. O clima é mais seco, com poucos os dias de chuva.
    É também nesta época que você aproveitará os dias mais longos do ano. Em Julho, por exemplo, são mais de 15h entre o nascer e o pôr do sol. Entre o final de Junho e Agosto, você poderá presenciar aquele que – para muitos – é o principal espetáculo da natureza na região: a floração das lavandas. Não por menos, nesta época – e principalmente aos finais de semana – o número de turistas é grande.
    Em suma, o verão é ideal para quem sonha em ver os campos de lavanda floridos e para aqueles que possuem um super pique e querem aproveitar os dias ao máximo, pelo máximo período de tempo. Por outro lado, pode ser um período inconveniente para quem sofre com o calor ou para quem deseja encontrar uma cidade mais tranquila e, consequentemente, mais barata.

 

  • No Inverno (de Dezembro a Março), as temperaturas variam, geralmente, entre os 3ºC e 11ºC, e as chuvas são um pouco mais frequentes.
    Os dias são mais curtos, com poucas horas de sol. Em Dezembro, é normal que o Sol nasça às 8h e se ponha já às 17h – num dia que chega a ter seis horas a menos que alguns dias de verão.
    É o período ideal para quem vai à Europa atrás de um clima mais incomum para nós, brasileiros. Ideal também para quem espera ver paisagens de neve – na Provence geralmente em altitudes mais elevadas -, ou se você espera encontrar um destino mais sossegado, com poucos turistas e, consequentemente, preços mais baixos.
    Por outro lado, pode ser frustrante para quem curte viagens mais animadas e vivas, já que as cidades estão mais vazias e o comércio tem horário de funcionamento reduzido em função dos dias mais curtos e da redução no movimento.

 

  • A Primavera e o Outono tem temperaturas amenas e os dias tem duração média de 12h. Exceto em casos de feriados, são boas opções para quem quer fugir do tumulto turístico mas, ainda assim, encontrar uma cidade vivaz. Há só um porém… anote aí: Entre o final de Outubro e Novembro, é quando as chuvas ocorrem com mais frequência na região.

 

O Vento Mistral

Seja você um viajante planejando seus dias na Provence ou puramente um entusiasta da região, é possível que já tenha ouvido falar sobre o tal vento Mistral. O Mistral é um fenômeno climático relativamente comum no sul da França. Resumidamente, ele acontece devido uma combinação meteorológica específica e encontra, no vale do rio Ródano, o caminho perfeito para suas fortes rajadas de vento – que podem ultrapassar os 180km/h.
O Mistral pode acontecer a qualquer momento do ano e é impossível prevê-lo com muita antecedência. Por isso, não encuque muito com a questão. As cidades – e seus moradores – já estão mais que habituados e preparados e encaram o Mistral como parte da rotina do local. Se, por acaso, o vento soprar nos seus dias em Avignon, perceba-o como parte da experiência e valorize a oportunidade de presenciá-lo, afinal de contas, dizem que ele um dos responsáveis por dar forma ao clima e, consequentemente, propiciar o desenvolvimento da vida natural daquele lugar – e aí estão incluídos os campos de lavandas e também as plantações de uva (que vão resultar no maravilhoso vinho da região)!

A Floração das Lavandas

É quase unanimidade: quem pensa em visitar a Provence nutre um profundo desejo por ver os campos de lavandas repletos de flores. Para isso, o ideal é que a visita ocorra entre meados de Junho e Agosto, mas saiba que, como um evento inteiramente orquestrado pela natureza, a floração das lavandas é imprevisível. Pode ocorrer de, em alguns anos, os campos florirem antecipadamente e, em outros anos, um pouco mais tarde que o convencional.
Minha dica é: ao chegar, procure saber no seu hotel ou no escritório de turismo se existem lavandas floridas em algum campo da região. Os campos não florescem todos ao mesmo tempo e mesmo que você não viaje no período exato da floração, pode dar sorte e encontrar um ou outro campo cheio de flores. Foi exatamente o que aconteceu conosco! Quando chegamos em Avignon, quase um mês antes do período da floração, fomos surpreendidos com a notícia de que já havia um campo florido na cidade. Um presentão pelo qual não esperávamos e que tornou nossa estadia por lá ainda mais marcante e inesquecível!

O QUE FAZER E QUANTOS DIAS FICAR EM AVIGNON?

Avignon não é uma cidade muito grande, mas acredite: é repleta de boas atrações. Por isso, vale a pena dedicar – ao menos – três dias de seu roteiro para a cidade e atrações vizinhas.


Confira uma lista com 7 atrativos imperdíveis de Avignon no post: O que fazer em Avignon?
E datalhe: lá você também encontra uma DICA AMIGA para quem economizar bastante nos ingressos!


Use o primeiro dia para conhecer o centro histórico de Avignon, visitando o Palácio dos Papas e o jardim do Rocher des Doms, caminhando por suas ruelas cheias de charme. Aproveite para desfrutar da gastronomia local no Mercado Les Halles ou em um dos seus muitos restaurantes dedicados à alta gastronomia – Avignon é muito conhecida por sua cozinha provençal! Termine o dia assistindo ao pôr do sol na Ponte Saint Bénezet.

Para o segundo dia, considere conhecer atrações no entorno. Você pode fazer um passeio de barco pelo rio Ródano, visitar Chateauneuf des Papes e conferir de perto a produção de um dos mais importantes vinhos da região. Se preferir ficar em Avignon, você pode dedicar o dia a conhecer alguns dos ótimos museus da cidade, como o Musée Calvet ou o Musée Lapidaire.

No terceiro dia, vale a pena fazer um bate-volta até uma ou duas vilas próximas. O departamento de Vaucluse tem 7 dentre as mais belas vilas da França. Gordes, Roussillon e Lourmarin foram as que incluímos em nosso roteiro e valeu a pena conhecer cada uma delas. Você também pode incluir uma visita ao Museu das Lavandas, que fica no caminho para Gordes e merece a visita!

Antes de fechar seu planejamento, no entanto, vale a pena conferir o calendário cultural da cidade. Avignon recebe muitos eventos, como festivais, concertos, espetáculos dos mais variados estilos… Caso algum deles esteja acontecendo no momento da sua viagem, vale tentar encaixar em seu roteiro ou, ainda, acrescentar mais uma noite por ali! Para conferir a agenda de Avignon, acesse o site do Escritório de Turismo em: www.avignon-tourisme.com

ONDE FICAR EM AVIGNON?

A melhor localização em Avignon, sem sombra de dúvidas, dentro de seu centro histórico. É dentro das muralhas que estão localizados os principais pontos de interesse dos visitantes: o Palácio dos Papas, os museus, os restaurantes, o comércio em geral e, claro, também os melhores hotéis.

Em nossa estada na cidade, estivemos hospedados no Hôtel d’Europe, um clássico 5 estrelas que mescla muitíssimo bem o caráter histórico com um toque de modernidade e muito (MUITO!) conforto. A localização não poderia ser melhor… dentro das muralhas, a poucos passos do Ródano e bem próximo a todas as atrações que queríamos conhecer na cidade. Pela experiência superpositiva que tivémos, o Hôtel d’Europe é, de olhos fechados, a nossa maior recomendação na cidade.

Para ajudar na sua viagem, preparamos um mapa e selecionamos as melhores opções de hotéis que encontramos na cidade. Para além do Hôtel d’Europe, no topo da lista, escolhemos algumas outras opções com estilos diferentes, níveis de conforto distintos e preços também variados. O único ponto comum a todos desta lista é a localização. Todos os hotéis indicados abaixo estão localizados no centro histórico de Avignon, a poucos passos de tudo o que você poderá querer ver por lá!

 

1. Hôtel d’Europe ★★★★★
Preço médio por diária*: R$840
Avaliação dos hóspedes no Booking: 9.1 – Fantástico!
Avaliação dos hóspedes no TripAdvisor: Nota 4,5 (de um total de 5).
Clique aqui para ver o Hôtel d’Europe no Booking.

 

2. La Mirande ★★★★★
Preço médio por diária*: R$1050
Avaliação dos hóspedes no Booking: 9.2 – Fantástico!
Avaliação dos hóspedes no TripAdvisor: Nota 4,5 (de um total de 5).
Clique aqui para ver o La Mirande no Booking.

 

3. Mercure Pont d’Avignon ★★★★
Preço médio por diária: R$390
Avaliação dos hóspedes no Booking: 8.4 – Muito bom!
Avaliação dos hóspedes no TripAdvisor: Nota 4 (de um total de 5).
Clique aqui para ver o Mercure Pont d’Avignon no Booking.

 

4. Mercure Palais des Papes ★★★★
Preço médio por diária*: R$370
Avaliação dos hóspedes no Booking: 8.3 – Muito bom!
Avaliação dos hóspedes no TripAdvisor: Nota 4 (de um total de 5).
Clique aqui para ver o Mercure Palais des Papes no Booking.

 

5. Hôtel de l’Horloge ★★★★
Preço médio por diária*: R$370
Avaliação dos hóspedes no Booking: 8.3 – Muito bom!
Avaliação dos hóspedes no TripAdvisor: Nota 4 (de um total de 5).
Clique aqui para ver o Hôtel de l’Horloge no Booking.

 

6. Hôtel de Garlande ★★★
Preço médio por diária*: R$320
Avaliação dos hóspedes no Booking: 9.0 – Fantástico!
Avaliação dos hóspedes no TripAdvisor: Nota 4,5 (de um total de 5).
Clique aqui para ver o Hôtel de Garlande no Booking.

 

Preço médio por diária*: R$240
Avaliação dos hóspedes no Booking: 8.6 – Fabuloso!
Avaliação dos hóspedes no TripAdvisor: Nota 4 (de um total de 5).
Clique aqui para ver o Kyriad Avignon Palais des Papes no Booking.

 

*valores em reais para quarto duplo (dois adultos). Cotação realizada através do Booking, para hospedagens em Outubro de 2017. Pesquisa em Agosto de 2017.

 

Para ver outras opções de hotéis e reservar sua estadia em Avignon, clique aqui!
O Imagina na Viagem utiliza e recomenda o Booking para reservas de hotéis ao redor de todo o mundo.
Sempre que você reserva um hotel através dos nossos links, contribui automaticamente
(e sem pagar nada a mais por isso) com o nosso trabalho!
Curtiu o post? Reserve pelo Booking através do Imagina na Viagem! 😉

VALE O BATE-VOLTA

Como eu já contei aqui, o departamento de Vaucluse conta com 7 dentre os mais belos vilarejos da França. Todos eles a uma curta distância de Avignon. São eles: Séguret, Venasque, Ménerbes, Roussillon, Gordes, Lourmarin e Ansouis.
Para além destes, existem inúmeras outras vilas, cidadelas e destinos imperdíveis na região. São centenas de boas opções para bate-voltas rápidos e a maior dificuldade vai ser escolher uma, ou apenas algumas dentre todas elas.

Nossas recomendações são:

Gordes (40km)imagine um pequeno vilarejo inteiramente construído em pedras sobre o alto de um rochedo. Assim é Gordes, um dos mais raros cenários que pude conhecer em nossa passagem pelo interior da França. Visite o castelo, a Eglise St. Firmin (Igreja de São Firmino) e pare para um drink no terraço do hotel La Bastide de Gordes, onde você encontrará uma vista de fazer cair o queixo. Não deixe de visitar, no caminho, o interessantíssimo Museu das Lavandas. Um passeio imperdível!

Roussillon (55km) mais um pequeno vilarejo classificado dentre os mais belos da França, Roussillon difere-se dos demais por sua arquitetura peculiar. Localizado no centro do maior depósito de “ocres” do mundo, suas construções são todas feitas a partir deste material – uma rocha amarela avermelhada. Além de conhecer a vila, vale a pena passear pelo Santier des Ocres, um parque onde é possível caminhar em meio a gigantescas formações naturais em ocre. Uma dica? Vá com calçados escuros ou sairá de lá com as solas manchadas! Rs…

Cidades Litorâneas (130km) – uma opção um pouco mais distante mas também bastante interessante é passar um dia na praias do litoral Sul da França. Se você planeja uma road trip, o ideal é que separe alguns dias e escolha uma base na região, mas se a sua viagem acaba na Provence, pode ser uma boa separar um diazinho do seu roteiro para conhecer o azul turquesa do Mediterrâneo. Marselha ou Cassis são boas pedidas saindo de Avignon. A primeira delas tem uma pegada mais “cosmopolita”, é o maior porto da França e uma das maiores cidades do país. A segunda tem mais carinha de balneário, com ruelinhas fofas e praias de cair o queixo! Dentre as duas, fico com Cassis.

 

NOSSA IMPRESSÃO

Avignon foi, de tudo o que vi na Provence, a minha “queridinha”. Não por ser a mais fofa, a mais peculiar, ou a mais agitada… mas pura e simplesmente por ser um pouco de cada uma destas coisas, e todas elas juntas. Possui uma história rica – e muito bem preservada -, respira cultura e arte em suas mais diversas formas, valoriza e perpetua a gastronomia tradicional provençal, inspira com sua arquitetura e surpreende com suas belezas naturais. É urbana e bucólica, afável como uma cidade do interior e ousada como os polos intelectuais e artísticos da Europa. Avignon é, em síntese, contrastante e absolutamente completa.

 

Se você sonha em conhecer a Provence, eu diria que Avignon não pode, de forma alguma, ficar de fora da sua lista. A cidade nem sempre é a escolha óbvia para uma base, é verdade… em muitos roteiros, Avignon ganha apenas uma tarde. Eu, particularmente, considero um pecado dedicar apenas algumas horas a ela. Avignon tem tanto o que ver, uma atmosfera acolhedora tão gostosa de ser vivenciada… e, depois de ter feito dela uma das bases de minha road trip, posso garantir: atende perfeitamente bem quem a decide fugir do “lugar comum” e pousar alguns dias por lá.

 

 

Leia também:

» Road Trip pela França: de Paris à Côte d’Azur
» Aluguel de carro na França – Sixt Rent a Car
» Beaune: uma base perfeita no interior da França
» Hôtel Le Cep – Um clássico em Beaune, na França
» Paris Museum Pass – vale a pena mesmo?
» Uber em Paris – Vale a pena usar?

 

Post anterior

Hôtel Le Cep - Um clássico em Beaune, na França

Próximo Post

O que fazer em Avignon? 7 atrativos imperdíveis!

Sem comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *